Será lançado fundo imobiliário da Torre Norte

A Tishman Speyer Método (TSM) lançará no próximo mês um fundo imobiliário da Torre Norte do Complexo Empresarial Nações Unidas, em São Paulo. Essa opção de investimentos proprociona à pessoa física a possibilidade de comprar uma cota desse empreendimento e passar a receber a rentabilidade das unidades alugadas. Normalmente, os fundos de investimentos imobiliários são colocados à venda no mercado quando os imóveis ainda serão construídos. No caso da Torre Norte, os compradores das cotas já contaram com um imóvel construído e com 100% de ocupação. "Por isso é que podemos estimar que os investidores terão em média um rendimento de 16% a 20% no ano", garante o presidente da TSM, Daniel Citron. Ele disse que o pedido para a criação do fundo imobiliário da Torre Norte já foi protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). "Certamente estaremos lançando-o em outubro", diz. Os fundos imobiliários são regulados e fiscalizados pela CVM, por se tratar de captação de recursos do público para investimento. Aliás, um fundo imobiliário é bastante semelhante à uma empresa, com seus acionistas, aumentos de capital, assembléias e distribuições de resultado. Os fundos imobiliários são formados por grupos de investidores, com o objetivo de aplicar recursos, solidariamente, no desenvolvimento de empreendimentos imobiliários ou em imóveis prontos. Do patrimônio de um fundo podem participar um ou mais imóveis, parte de imóveis, entre outros. De acordo com o consultor de investimentos, Sérgio Belleza, esses fundos existem há mais de 30 anos nos Estados Unidos, com ativos superiores a US$ 130 bilhões. Só no ano de 98 eles pagaram mais de US$ 11 bilhões de dividendos aos quotistas, isso sem falar da eventual valorização das quotas (70% dos fundos imobiliários americanos são cotados em bolsa). Apenas 5 fundos são para pessoa físicaAtualmente já estão em funcionamento mais de 50 fundos imobiliários no Brasil, com patrimônio total superior a R$ 1 bilhão. Desse total somente 5 são direcionados à pessoa física. "Os fundos de investimentos são ótimas alternativas para a classe média investir no mercado imobiliário", observa o diretor da Brazilian Mortgages, Rodrigo Machado. Sua empresa foi a responsável pela estruturação do fundo de investimento imobiliário do Shopping Pátio Higienópolis, localizado no bairro homônimo, em São Paulo. Totalmente vendidas, as cotas do Pátio Higienópolis rendem aos seus investidores 16,75% ao ano, segundo Machado. "Alguns dos primeiros compradores estão vendendo suas cotas e já estamos formando um mercado secundário dos fundos de investimentos imobiliários", avisa Machado. "Os fundos imobiliários podem atrair o investidor estrangeiro para o investimento de médio e longo prazos no País. Mas o mais importante é que esta é a mais revolucionária alternativa de captar recursos para o setor que mais emprega no Brasil", destaca Belleza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.