Serasa aponta alta de faturamento das pequenas e médias empresas

O faturamento das pequenas e médias empresas aumentou nos últimos dez anos, mas o lucro baixo limitou seus investimentos. Essa é uma das conclusões de um estudo feito com 32 mil companhias pela Serasa, empresa de pesquisas e análises econômicas e financeiras.Entre 1994 e 2003, o faturamento das companhias do setor de comércio registrou uma expansão de 64,9%, de serviços 54,1% e indústrias atingiu 34,6%. Na média, o crescimento das vendas das empresas desses segmentos foi de 49,5%.De acordo com os técnicos da Serasa, os juros elevados inibiram as pequenas e médias empresas a tomar empréstimos bancários, o que provocou dificuldades para realizar investimentos.FasesAs vendas das pequenas e médias empresas apresentaram três fases diferentes no período levantado pelo estudo. O primeiro, de 1994 a 1996, apresentou duas características básicas: o fim da hiper inflação, o que provocou uma grande expansão do consumo, especialmente da população de baixa renda. O outro fator foi a ampliação da abertura da economia, o que propiciou uma maior concorrência, sobretudo das empresas estabelecidas em outros países. Nesses três anos, foi registrada uma expansão de vendas de 35,6%, a maior da década.Entre 1997 e 1999, as empresas foram muito prejudicadas pelas crises que atingiram o sudeste asiático e Rússia. A flutuação do câmbio no Brasil, adotada em 1999, colocou a economia nacional em estagnação, o que afetou o faturamento das empresas, cuja a expansão no triênio ficou em 5,4%.De 2001 a 2003 ocorreu a menor taxa de expansão das vendas das empresas no período, que ficou em 1,4%. Alguns fatores colaboraram para o baixo resultado, como a crise de energia e desvalorização cambial no Brasil, os problemas econômicos da Argentina e a desacelaração da economia mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.