Serasa aponta recorde em volume de cheques devolvidos

O volume de cheques sem fundos devolvidos registrou recorde histórico de crescimento nos primeiros cinco meses de 2004. A informação foi divulgada nesta quarta-feira por meio de estudo nacional da Serasa. No período, foram devolvidos 16,2 cheques a cada mil compensados, o que representou elevação de 2,5% em relação aos 15,8 documentos devolvidos entre janeiro e maio de 2003.A Serasa, que iniciou esse tipo de estudo em 1991, destacou que o número divulgado é referente à segunda devolução de cheques, após resultado confirmado no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF) do Banco Central.No mês de maio, foram devolvidos 16,4 cheques a cada mil compensados. O número representou queda de 6,8%, na comparação com os 17,6 cheques a cada mil recusados em maio do ano anterior, e aumento de 3,1% em relação aos 15,9 cheques a cada mil compensados verificados em abril de 2004. Apesar da redução de 6,8%, o número de cheques devolvidos por mil compensados em maio deste ano foi o segundo maior registrado em 2004 e ficou atrás apenas do resultado de março, quando foram efetuadas 17,2 devoluções de cheques a cada mil compensados.O mês passado também apresentou queda da quantidade absoluta de cheques devolvidos em todo o Brasil. O total de cheques sem fundos chegou a 2,8 milhões, o que representou recuo de 15% em relação ao número de maio de 2003, quando 3,3 milhões de cheques foram devolvidos. No acumulado de 2004, foi atingida a marca de 14,157 milhões de devoluções.Dívidas assumidas no final do anoA Serasa informa que o primeiro semestre do ano concentra as marcas mais altas de inadimplência com cheques devolvidos. O fenômeno ocorre em virtude do alongamento de prazos praticados nas vendas com cheques pré-datados no Natal. Em 2004, este fato deve novamente ocorrer, pois ainda não há grandes sinais de melhoria nos indicadores de desemprego e renda.De acordo com os técnicos da empresa, a queda do volume de cheques devolvidos por falta de fundos a cada mil compensados em maio de 2004, em relação ao mesmo período do ano passado, é resultado da reação da atividade econômica, verificada nos primeiros cinco meses do ano, e da opção do consumidor por regularizar suas pendências financeiras e evitar assumir novas dívidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.