Serasa apura opção pelas compras à vista no Dia das Crianças

Pagamento à vista ou pré-datado e fuga de parcelas e compras a prazo. Assim pode ser caracterizado o comportamento do consumidor para as compras do Dia da Criança, segundo o "Indicador Serasa do Nível de Atividade do Comércio". A Serasa apurou, no fim-de-semana anterior ao Dia das Crianças, crescimento de 3,8% nas vendas à vista e com cheques pré-datados em relação ao mesmo período de 2002. As vendas a prazo recuaram 27%, na mesma comparação.A empresa ressalvou que a base comparativa desse ano em relação ao anterior não indica tendência consistente para as vendas na data, já que o comportamento de 2002 sofreu influência do primeiro turno da eleição presidencial, o que levou o consumidor a retardar as compras."As expectativas para o Dia das Crianças em 2003 refletem que o consumidor continua retraído, por conta do elevado desemprego e da acentuada queda da renda. O consumidor está preferindo comprar à vista a assumir novos compromissos e, com isso, compra produtos mais baratos", informa a Serasa, ao ressaltar que a data teve desempenho tímido nos últimos anos."Como tradicional termômetro de vendas para o Natal, o Dia das Crianças 2003 não deverá sinalizar referências para o varejo que permita um seguro dimensionamento da demanda para as compras de final do ano. Com isso, o comércio deve deixar suas aquisições junto à indústria para o mais próximo possível das semanas que antecedem o Natal, para ter melhor sensibilidade sobre o consumidor e não formar estoque", avalia a empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.