Serasa: cheque sem fundo é 1,87% do total do semestre

A inadimplência em operações com cheques continua a cair em todo o País, informou hoje a Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito. No primeiro semestre foram devolvidos 1,87% dos cheques, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Este é o menor porcentual para um primeiro semestre em cinco anos. No mês de junho, 1,75% dos cheques emitidos voltaram, o que representa o menor índice desde fevereiro de 2005.

FABRÍCIO DE CASTRO, Agencia Estado

20 de julho de 2010 | 12h31

No primeiro semestre, cerca de 10,5 milhões de cheques foram devolvidos, enquanto 560,7 milhões foram compensados. Apenas no mês de junho houve 1,61 milhão de devoluções e 92,5 milhões de compensações.

Para os analistas da Serasa Experian, a queda do porcentual de cheques sem fundos reflete mudanças na preferência do consumidor. "Em ambiente de juros em alta, maior endividamento e inadimplência também crescente, o consumidor tem preferido outras formas de parcelamento que lhe possibilitem a rolagem da dívida, sobretudo com pagamentos parciais", registraram os economistas em documento de divulgação. "Mas os cheques pré-datados já não oferecem prazos de financiamento tão alongados quanto o de outras formas (de crédito)."

De acordo com a Serasa Experian, a inadimplência em operações com cheques deve continuar recuando, "podendo sofrer algumas pressões de elevação com o Dia das Crianças e as festas de final de ano".

Nos Estados, o maior porcentual de cheques sem fundos foi identificado no Amapá, onde o índice de devolução no primeiro semestre foi de 11,31%. Em São Paulo, região com o menor porcentual de inadimplência, 1,43% dos cheques voltaram. Na sequência aparece o Rio de Janeiro, com 1,55%.

O Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos considera as devoluções, em todo o País, em relação ao total de compensações. Pela metodologia utilizada, apenas cheques em segunda devolução são levados em conta.

Tudo o que sabemos sobre:
inadimplênciachequefundoSerasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.