Serasa explica aumento de cheques devolvidos

A Serasa divulgou hoje estudo nacional revelando que o volume de cheques sem fundo no País cresceu 15,3% em março em comparação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com o levantamento, em março de 2001 foram 12,8 cheques devolvidos a cada mil compensados, a maior marca já registrada desde 1991, ano em que foi criado o índice. Em fevereiro deste ano foram 11,6 cheques devolvidos.O total de cheques sem fundos no primeiro trimestre do ano também é o maior desde 91. No acumulado de janeiro a março de 2001 foram devolvidos, em média, 11,7 cheques em cada mil compensados. No ano passado, a média foi de 10,1 devoluções no mesmo período.Serasa explica o aumento nos cheques sem fundosSegundo a assessoria econômica da Serasa, três fatores devem ser destacados para explicar o aumento do número de cheques devolvidos no mês passado. Primeiramente, houve um crescimento no volume de negócios, principalmente o crédito, verificado no primeiro trimestre de 2001, em relação ao mesmo período de 2000 que levou um crescimento não proporcional da inadimplência.Também contribuiu para o aumento dos cheques devolvido o alongamento nos prazos de recebimento de cheques, verificado no final do ano passado, que pode levar a um descontrole das contas do consumidor menos acostumado a assumir vários compromissos simultaneamente. A assessoria econômica da Serasa ressalta que no 1º trimestre há uma concentração muito grande de despesas (matrículas escolares, impostos etc).Outro problema é o alongamento nos prazos de recebimento de cheques ou mesmo a concessão de financiamentos para clientes de maior risco de inadimplência. De acordo com a assessoria econômica da Serasa, o crédito pessoal cada vez mais competitivo, acirrado pela concorrência crescente do varejo, também favorece a concessão de crédito menos criteriosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.