portfólio

E-Investidor: qual o melhor investimento para 2020?

Serasa: inadimplência do consumidor cresce 8,6%

O Indicador Serasa Experian, divulgado hoje, apontou queda de 8,9% na inadimplência dos consumidores em fevereiro na comparação com janeiro. Mas na comparação entre o primeiro bimestre de 2009 e o mesmo período de 2008, o índice da pessoa física aumentou 8,6%. Também foi verificado crescimento na variação anual: em fevereiro de 2009 ante fevereiro de 2008 houve aumento de 4,5%.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

12 de março de 2009 | 18h33

Dívidas com bancos, com participação de 43,4% no indicador, lideraram o ranking de inadimplência no primeiro bimestre. Em 2008, no mesmo período, esta participação era de 42,8%. Em seguida, veio a inadimplência com cartões de crédito e financeiras, com 37%. No primeiro bimestre de 2008, este porcentual era de 31,1%. Os cheques devolvidos representaram 17,7% da inadimplência dos consumidores no acumulado de janeiro e fevereiro, fatia menor que os 23,8% verificados nos dois primeiros meses de 2008.

O valor médio das dívidas vencidas com cartões de crédito e financeiras foi de R$ 357 no bimestre, 5,5% a menos que no mesmo período de 2008. As dívidas bancárias tiveram valor médio de R$ 1.371, uma queda de 3%. Já o valor médio dos cheques devolvidos foi de R$ 823, um crescimento de 29,9% sobre o acumulado dos dois primeiros meses de 2008.

Na avaliação dos técnicos da Serasa, o aumento da inadimplência da pessoa física no primeiro bimestre reflete a dificuldade dos consumidores em honrar dívidas em razão do aumento do desemprego. De acordo com dados do Ministério do Trabalho, só em janeiro foram fechadas 101.748 vagas de emprego formal no País. Os técnicos também consideram que a falta de disciplina financeira contribui para a não-quitação de dívidas dentro do prazo.

Tudo o que sabemos sobre:
inadimplênciaSerasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.