Serasa: microempresa quita 95,4% das dívidas em junho

As micro e pequenas empresas (MPEs) registraram em junho índice de 95,4% de pontualidade de pagamento, informou hoje a Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito. De cada mil pagamentos efetuados no mês, 954 foram quitados à vista ou com um atraso máximo de sete dias. Este é o maior valor mensal do indicador desde janeiro de 2006, quando começou a série histórica. Em maio, o índice havia atingido 95,2%.

FABRÍCIO DE CASTRO, Agencia Estado

21 de julho de 2010 | 11h01

De acordo com a Serasa Experian, a pontualidade no pagamento foi semelhante nos diferentes setores da economia. Enquanto o comércio registrou índice de 95,4% em junho, a indústria e o setor de serviços apresentaram porcentual de 95,3%. Já o valor médio dos pagamentos feitos no mês recuou 3% em junho em relação a maio e atingiu o valor de R$ 1.495,36. Em relação a junho de 2009, houve queda de 2,5% no valor médio dos pagamentos - a 13ª queda anual seguida.

No primeiro semestre deste ano, as micro e pequenas empresas acumulam um índice de 94,9% de pontualidade de pagamento, em relação ao mesmo período do ano passado. Este é o maior nível para um primeiro semestre desde o início da série histórica.

Para os analistas da Serasa Experian, "a pontualidade dos pagamentos das micro e pequenas empresas tende a se manter elevada ao longo dos próximos meses, em patamares acima dos registrados nos anos anteriores". Segundo o documento de divulgação da pesquisa, "apesar da desaceleração da atividade produtiva em curso, a economia brasileira ainda conseguirá sustentar uma boa taxa de crescimento ao longo do ano de 2010, favorecendo as condições de solvência de micro e pequenas empresas, especialmente daquelas mais focadas ao atendimento do mercado doméstico".

O Indicador Serasa Experian de Pontualidade de Pagamentos das Micro e Pequenas Empresas é formulado com base nos pagamentos efetuados, mensalmente, por cerca de 600 mil micro e pequenas empresas em todo o Brasil. No levantamento, são consideradas empresas com faturamento líquido anual de até R$ 4 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.