Serasa prevê lentidão no aumento da demanda por crédito

O presidente da Serasa, Elcio Anibal de Lucca, disse que a redução na taxa básica de juros, a Selic, de 24,5% ao ano para 22% ao ano, ainda não propiciou elevação na demanda por empréstimos por parte das empresas. Segundo ele, o crédito está contido e o aumento na demanda por empréstimos será lento, acompanhando a queda nas taxas. "Há esperança na recuperação da economia", disse. Aníbal comentou que a reforma tributária deveria ser adiada para possibilitar maior debate. De acordo com ele, os estudos mostram que no estágio atual de discussões no Congresso Nacional haveria aumento na carga tributária para as empresas. O presidente do Serasa, disse que isso não poderia acontecer, pois o "País precisa crescer e gerar empregos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.