Pablo Valadares/AE
Pablo Valadares/AE

Sérgio Darcy, ex-diretor do Banco Central, morre aos 71 anos

Darcy lutava contra um câncer; diretores do BC lamentaram a morte

Célia Froufe, Fabrício de Castro e Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2016 | 19h13

SÃO PAULO e BRASÍLIA - O ex-diretor do Banco Central, Sérgio Darcy, morreu na manhã desta sexta-feira, 12. Darcy lutava contra um câncer. Em homenagem, a Bolsa fez um minuto de silêncio às 16h55, antes do call de fechamento do segmento Bovespa.

Darcy trabalhou quase 40 anos no Banco Central, onde ocupou o cargo de diretor de Normas e Organização do Sistema Financeiro do Banco Central, onde ficou até 2006. Lá, o economista encabeçou vários projetos de microcrédito e nos processos de regulamentação do arrendamento mercantil (leasing) e consórcios. Darcy foi ainda membro do Conselho de Auto Regulação da BSM e atualmente era membro do Comitê de Auditoria da BM&FBovespa e também do Itaú Unibanco. 

Dois diretores do Banco Central lamentaram a morte de Sérgio Darcy. "É com pesar que recebemos a notícia do falecimento do Dr. Sérgio Darcy, ex-diretor de Regulação do Banco Central do Brasil. Em sua trajetória, como servidor de carreira do Banco Central, Sérgio Darcy trabalhou para o aperfeiçoamento do Sistema Financeiro e pela ampliação do acesso dos cidadãos aos serviços financeiros", disse o atual diretor de Regulação da instituição, Otavio Damaso. 

 

O diretor de administração do BC, Luiz Feltrim, também se pronunciou sobre a morte de Darcy. "O ex-diretor do Banco Central Sérgio Darcy, com sua trajetória profissional ímpar, deixa um exemplo para a atual e as futuras gerações, em realidade, deixa uma grande lacuna. Ele foi um grande incentivador do debate e da integração funcional."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.