Serra evitar falar de negociação sobre a Nossa Caixa

O governador José Serra (PSDB) evitou hoje detalhar as negociações para a venda da Nossa Caixa para o Banco do Brasil."Eu já falei o que tinha para falar a esse respeito. O secretário da Fazenda pode continuar falando", justificou, após participar de evento promovido pela Associação Paulista de Supermercados (Apas), em São Paulo.Serra limitou-se a enfatizar a necessidade de aumentar os investimentos estaduais. "O Estado está com as contas arrumadas, mas falta dinheiro para investir", disse. "A gente não gasta o que não tem", ressaltou, acrescentando que seu governo quer melhorar a arrecadação "e obter receitas do estilo ''uma vez por todas''", como a venda da conta-salário, que trouxe para os cofres do governo R$ 2 bilhões.Serra, que participou do Congresso de Gestão e Feira Internacional de Negócios em Supermercados, anunciou que empregará um montante de R$ 20 milhões em "grande ofensiva pública" para divulgar a Nota Fiscal Paulista. Ele argumentou que a nota eletrônica permite ao consumidor obter 30% do imposto pago pelo varejo, auxilia no combate à sonegação fiscal e melhor convém ao setor formal.Ao falar sobre investimentos, Serra destacou "a importância do solução do problema nº 1 de São Paulo", o trânsito. De acordo com o governador, metade da população paulista vive na região da Grande São Paulo, "e esta metade está toda congestionada". Ele citou como medidas necessárias a transformação dos trens da CPTM em metrô de superfície, prometendo esse procedimento em 160 quilômetros de vias, além da implantação de novos trechos do Metrô. "A solução tem que ser estrutural e estrutural significa transporte público", declarou. Ele também destacou a conclusão do trecho Sul do Rodoanel e prometeu o início das obras do trecho Leste ainda durante seu mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.