Servidores da Embrapa suspendem greve até quarta-feira

A maioria dos funcionários da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) decidiu, por meio de assembleias realizadas na quarta-feira e hoje, suspender a greve na empresa, que já durava 10 dias. Na próxima segunda-feira, os trabalhadores, de um total de 8.617 que compõem o quadro da empresa, retomarão as atividades.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

12 de junho de 2009 | 11h43

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (Sinpaf), porém, já promete uma nova paralisação geral a partir de quarta-feira (dia 17), para quando está prevista uma nova reunião, às 9 horas, entre sindicato e empresa para tentarem chegar a um acordo a respeito de reajuste salarial e valor do pagamento de adicional de insalubridade, entre outros pontos.

Segundo o diretor nacional de ciência e tecnologia do Sinpaf, Idésio Franke, das 39 assembleias realizadas, 30 já fizeram votação e, destas, 21 optaram pela suspensão da paralisação, que começou no dia 2 deste mês. Como a maioria, portanto, já votou pela retomada ao trabalho, o quadro de funcionários da Embrapa deve estar completo na próxima segunda-feira, mesmo que as demais reuniões tenham um desfecho diferente. "Esta é a interpretação", resumiu Franke.

O diretor explicou que, nas mesmas reuniões, também foi votada a realização de uma greve geral, a partir de quarta-feira, quando haverá um encontro entre representantes de funcionários e da empresa. Das 30 assembleias, 19 teriam decidido por uma nova paralisação, o que já indica a vontade da maioria. O principal dissenso entre as partes diz respeito às cláusulas econômicas contidas na proposta do sindicato. A que, de fato, está travando as negociações é a que estipula o valor do pagamento do adicional de insalubridade, para aproximadamente 1,9 mil trabalhadores, de acordo com cálculos do sindicato. Para a Embrapa, o pagamento deve ser feito com base no salário mínimo. Já os trabalhadores querem como referência o salário-base da categoria.

Tudo o que sabemos sobre:
greveEmbrapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.