Sete novos acessos à banda larga são feitos por minuto no País, diz associação

Conta leva em consideração dados coletados pela Anatel no 1º trimestre

Leonardo Goy, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 10h36

Como defensor do papel das empresas privadas na expansão da banda larga no País, o diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Eduardo Levy, disse nesta quarta-feira, 26, que a cada minuto são feitos sete novos acessos à banda larga no País. A conta leva em consideração dados do primeiro trimestre apurados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e ainda as 24 horas do dia e os sete dias da semana.

Levy brincou que, como não se vende banda larga para clientes na hora em que estão dormindo, considerando-se apenas o horário comercial, são vendidos no Brasil 10 acessos de banda larga por minuto. Segundo ele, as empresas do setor "são a melhor opção para massificar a banda larga, com menor custo, mais rapidez e maior eficácia".

Levy criticou ainda a alta carga tributária que incide sobre o setor no País. "Os impostos são mais que o dobro da média da América Latina", disse ele, sugerindo que uma redução da carga tributária ajudaria a expandir os serviços. "Quem paga o imposto onera o cidadão e não as teles. Ele dificulta o acesso do cidadão ao serviço", disse, durante audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, que discute o Plano Nacional de Banda Larga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.