Estadão
Estadão

Setor aéreo brasileiro encolhe pelo 10º mês consecutivo

Nos cinco primeiros meses deste ano, a demanda doméstica acumula baixa de 6,6% frente igual etapa de 2015

Luciana Collet, Agência Estado

17 Junho 2016 | 12h08

SÃO PAULO - A demanda por transporte aéreo doméstico de passageiros registrou queda de 7,8% em maio, na comparação com o mesmo mês de 2015, informou há pouco a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Com o resultado, o setor aéreo brasileiro já registra dez meses consecutivos de retração. Nos cinco primeiros meses deste ano, a demanda doméstica acumula baixa de 6,6% frente igual etapa de 2015.

A oferta por transporte aéreo doméstico, por sua vez, diminuiu 8,2% em maio, em relação ao mesmo período do ano passado, na nona baixa sucessiva do indicador. No ano até agora, a oferta acumula redução de 5,7% ante janeiro a maio de 2015.

Com um recuo da oferta mais acentuado que o da demanda, a taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos operados por empresas brasileiras melhorou e ficou em 78,3% em maio de 2016, que representou alta de 0,3 ponto porcentual ante o reportado no mesmo mês do ano passado. No período de janeiro a maio de 2016, o aproveitamento doméstico foi de 79,4%, frente a 80,3% do mesmo período de 2015, o que representou redução de 1%, destacou a Anac.

No total, as empresas aéreas nacionais transportaram um total de 6,9 milhões de passageiros pagos no mercado doméstico em maio, o que corresponde a uma queda de 10% em relação a maio de 2015, completando dez meses consecutivos de retração. No período de janeiro a maio de 2016, a quantidade de passageiros transportados acumulou redução de 7,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Já a carga paga transportada no mercado doméstico foi de 27,4 mil toneladas em maio de 2016, o que representou redução de 13,4% com relação a maio de 2015. Nos cinco primeiros meses de 2016, a carga paga doméstica transportada acumulou redução de 7,9% em relação ao mesmo período de 2015, tendo atingido 132,2 mil toneladas.

Participação de Mercado. A Gol liderou o mercado doméstico no mês passado, com uma participação, medida pelo indicador de demanda RPK, de 36,6%, acima dos 34,5% de sua principal concorrente, a TAM. A Gol registrou alta de 0,1% em sua participação de mercado, quando comparada com mesmo mês do ano anterior, enquanto a TAM teve queda de 4,5% neste indicador. A participação das demais empresas somadas foi de 29%, o que representou aumento de 5,8% em relação a maio de 2015.

A Anac destacou a evolução da Avianca, que apresentou crescimento de 18,9% em sua participação no mercado doméstico em maio de 2016, quando comparada com maio de 2015, passando de 9,4% para 11,2%. Já a Azul passou de 17%, em maio do ano passado, para 16,9%.

No mês passado, a Avianca foi a única companhia nacional a apresentar crescimento na demanda doméstica, quando comparada com o mesmo mês de 2015, da ordem de 9,6%. A Gol registrou uma queda de 7,7%, enquanto a TAM anotou uma baixa de 12%. Já a demanda na Azul caiu 8,2%.

No comparativo sobre a melhor taxa de aproveitamento doméstico, destaque para a TAM, que anotou um índice de 81,1% em maio. Avianca, Azul e Gol registraram aproveitamento de 79,2%, 78,5% e 75,8%, respectivamente. Destas empresas, TAM e Azul registraram elevação neste indicador em relação a maio de 2015, da ordem de 3,3% e 0,3%, respectivamente, enquanto na Gol houve queda de 1,2 ponto porcentual.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Anac Mercado TAM Avianca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.