Setor consolida crescimento

Número de empreendimentos lançados é o maior em 21 anos

O Estadao de S.Paulo

27 de junho de 2008 | 00h00

O mercado imobiliário na Região Metropolitana de São Paulo, em 2007, superou todas as expectativas, tanto em relação ao número de lançamentos, que alcançou um total de 564 empreendimentos - o maior dos últimos 21 anos -, como de unidades lançadas: 62.065, o que representou um crescimento de 78,71% em relação a 2006. Esta é a análise apresentada pelo relatório anual divulgado pela Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp). Para João Crestana, presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Locação de Imóveis (Secovi), o financiamento habitacional foi o principal motor para o reaquecimento do mercado. "Em 2007, a gente teve a consolidação de uma situação que vinha desde o tempo do fim da inflação: o amadurecimento da cultura do crédito, que estava abandonada há muito tempo."De fato, o ano foi repleto de novidades que estimularam o empréstimo de longo prazo para a compra da casa própria, como redução de taxas de juros, aumento do tempo para pagamento, criação da prestação de valor fixo, parcerias de bancos e construtoras para o financiamento direto na planta e a liberação para que bancos privados também operassem os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Com isso, a classe média e a baixa renda tiveram ampliadas suas condições de aquisição de imóveis. "Isso fez com que o mercado despertasse para o segmento econômico. As empresas começaram a se aparelhar e aprendemos que isto é importante, que é porta de entrada para muita gente ao mercado." Para atender à forte demanda que se criou a partir do crédito, as empresas, entre elas, muitas que haviam acabado de abrir capital, reformularam suas estratégias. Se o foco até 2006 era o alto padrão, em 2007, passou a ser a produção em grande escala de unidades de preço mais acessível. "Foi um movimento de várias construtoras e incorporadoras, que criaram empresas específicas, ou departamentos dentro do seu próprio bojo, ou fizeram parcerias, para atender a esse mercado." Além disso, mais capitalizadas, elas tiveram condições de ampliar significativamente seus bancos de terras e expandir suas atividades para o interior e outros estados.Como resultado, uma grande fatia dos produtos lançados em 2007 já tiveram novo perfil. "Neste momento, as empresas começaram a lançar produtos que se adequaram mais ao bolso do consumidor. Começam a aparecer quatro dormitórios em locais com preços menores, dando acesso a camadas mais baixas da pirâmide social a um produto um pouco melhor."NÚMEROS62.065 unidadesFoi o total lançado durante o ano de 2007, em 564 empreendimentos, na Região Metropolitana de São Paulo78,71% Foi o crescimento em número de unidades registrado no ano, em relação a 2006, segundo a Embraesp. No ano anterior, foram 34.727 unidadesR$ 2.931É o preço médio de área útil lançada na Grande São Paulo, em 2007. No ano anterior, o valor médio atingiu R$ 3.187

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.