Setor de alimentos em recuperação

Os resultados das duas principais companhias nacionais de alimentos, Sadia e Perdigão, mostram que o setor está recuperando as margens de lucro, que foram fortemente pressionadas no primeiro semestre por conta da elevação dos insumos e da queda no preço dos produtos.No resultado acumulado no ano, a Perdigão apurou um lucro líquido de R$ 19,887 milhões, apontando crescimento de 71,43% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento líquido registrou um aumento de 10,31%, chegando a R$ 1,230 bilhão. No terceiro trimestre, a margem bruta da empresa, que ficou em 24,8%, quase voltou aos mesmo níveis de igual intervalo de 1999, quando era de 26,5%.A Sadia obteve um lucro líquido de R$ 56,202 milhões entre janeiro e setembro, revertendo assim o prejuízo de R$ 26,527 milhões apresentado em igual período de 1999. A receita líquida da empresa aumentou 4,2%, somando R$ 2,063 bilhões. A margem bruta da companhia no terceiro trimestre, de 24,65%, também está próxima a registrada no ano passado, de 26,72%.Segundo comentário da Perdigão, os números do terceiro trimestre refletem o início da recuperação do mercado. O novo cenário possibilitou ajustes nos estoques, uma ligeira acomodação nos preços dos insumos, mesmo que ainda em valores elevados, e uma certa melhora nos preços de venda, principalmente no mercado interno. A Sadia lembrou que apesar do resultado entre julho e setembro estar refletindo a melhora nas condições do mercado, os números acumulados no ano ainda sentem os efeitos negativos do primeiro semestre.Outro fator que continua contribuindo para elevar a rentabilidade das empresas é o aumento da participação de produtos com maior valor agregado no total de produtos vendidos. Melhorar o mix de produtos, trazendo ofertas mais sofisticadas, é um claro objetivo das empresas desse segmento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.