coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Setor de alimentos tem potencial de alta neste ano

O setor de alimentos continua integrando a lista de apostas para a Bolsa este ano, mas, segundo analistas, espera-se um comportamento modesto das ações. A explicação é que não estão previstos eventos catalisadores que possam impulsionar os papéis, a exemplo do que ocorreu em 2001.Os destaques são Sadia e Perdigão, que concentram a liquidez do mercado no segmento. No ano passado, essas companhias apresentaram desempenhos operacionais recordes, motivados por um cenário muito favorável, que combinou crises sanitárias na Europa, dólar valorizado e preços de grãos em baixa.O analista do Unibanco Basílio Ramalho acredita que as margens de lucro das empresas ficarão abaixo do verificado em 2001. No entanto, ressaltou, os indicadores devem ser "muito bons´ frente ao histórico do setor.Ele está revisando suas projeções de resultado, mas enfatizou que as companhias passaram por mudanças consistentes no ano passado, consolidando o mercado internacional como plano relevante de negócios.Potencial de altaPara Ramalho, os papéis do setor possuem potencial de alta. Mas, explicou, quando os investidores ficam receosos com resultados futuros, as ações enfrentam maior resistência. Mesmo assim, baseado em fundamentos, o preço alvo dele para as ações da Sadia é R$ 2,10, com chance de ganho superior a 65%. Em relação à Perdigão, o alvo é R$ 25,00, mostrando expectativa de valorização de mais de 56%.Além da falta de perspectiva de notícias positivas relevantes, as previsões para 2002 englobam uma ligeira queda nos preços internacionais de frango e suínos e alta nos custos dos grãos.Por essa razão, o analista da Fator Doria Atherino, Daniel Pasquali, acredita que a principal questão a ser observada neste ano é o câmbio. Além disso, não espera aumento das exportações nem recuperação significativa para o mercado local. Mas, segundo ele, se houver nova desvalorização do Real, é possível verificar uma performance consistente.A preferência de Pasquali é pelas ações da Seara, a mais voltada para exportações entre as concorrentes. O preço alvo para os papéis é R$ 3,31, indicando um potencial de alta de aproximadamente de 22%. Para as líderes Sadia e Perdigão, ele indica manter os papéis em carteira, entendendo que as cotações em Bolsa estão próximas do esperado.Mercado internoSobre o mercado interno, que no ano passado apresentou desempenho bastante fraco, o analista Rafael Quintanilha, da BES Securities, não espera melhoras significativas. Para ele, uma recuperação mais consistente está diretamente relacionada à queda na taxa interna de juros e aumento de renda. Por isso, prevê um crescimento mais expressivo apenas em 2003.Apesar de fora do horizonte até o momento, os analistas lembraram que há alguns eventos que poderiam dar algum um impulso para as empresas neste ano. Entre eles estão a abertura do mercado europeu ao suíno brasileiro e o embargo forte da Rússia ao frango dos EUA, abrindo espaço para os produtos brasileiros. (AE)

Agencia Estado,

25 de março de 2002 | 12h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.