Setor de embalagens espera faturamento de R$ 17 bi

Apoiado no crescimento de alguns segmentos pontuais, como o de sucos prontos, de balas e doces, água mineral e pet food, o setor de embalagens espera fechar o ano com faturamento de R$ 17 bilhões, o que representa um crescimento de 8,3% sobre 2001, quando o setor faturou R$ 15,7 bilhões. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), Fábio Mestriner, só o setor de sucos prontos cresceu 60% no primeiro semestre do ano. "O setor de embalagens tem registrado crescimento acima de 10% ao ano nos últimos cinco anos", destaca.O executivo afirma ainda que o surgimento de novas tecnologias tem ajudado para impulsionar o crescimento do setor. Mestriner cita a criação de novas embalagens assépticas, que aumentam o tempo de vida dos produtos sem a necessidade de refrigeração, como exemplo. "O setor de alimentos e bebidas consome atualmente cerca de 65% da produção brasileira de embalagens", ressalta. Segundo dados da Abre, o brasileiro gasta anualmente em torno de US$ 67 com embalagens, enquanto os gastos do europeu chegam a US$ 85 por ano. "Isso mostra o grande potencial que o Brasil ainda tem para crescer", afirma. O consumo per capita de embalagens no Japão é o maior do mundo, de US$ 411, seguido pelos Estados Unidos, onde o consumo per capita de embalagens é de US$ 360.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.