Setor de energia recebe a maior parte dos recursos do PAC

Entre os setores que serão contemplados com recursos do Programa de Aceleração Econômica (PAC), o de energia elétrica receberá o maior montante. Do total de R$ 503,9 bilhões que serão aplicados em infra-estrutura, o setor ficará com R$ 274,3 bilhões. Em seguida, segundo anunciou a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, vêm os investimentos em infra-estrutura social e urbana (obras como saneamento e metrô), com R$ 170,8 bilhões. Já os aportes em Logística deverão somar R$ 58,3 bilhões.Dilma Rousseff explicou que, do total de R$ 503 bilhões de investimentos, o governo ainda não dispõe de um cálculo diferenciando quanto virá do setor público e quanto virá do setor privado. "Não há um cálculo. Nós construímos os instrumentos necessários para que haja os investimentos", afirmou.Outra medida é que o prazo dos financiamentos do BNDES para os investimentos em geração e transmissão de energia serão elevados de 14 anos para 20 anos. Além disso, o prazo de carência desses empréstimos será aumentado de 6 para 12 meses. Os financiamentos, de acordo com Dilma, serão limitados a 80% do valor dos investimentos.Dilma ressaltou que o critério de escolha das obras que serão executadas no âmbito do PAC levou em conta a distribuição regional das benfeitorias e que o governo pretende priorizar a alocação para os investimentos em infra-estrutura nas regiões Norte e Nordeste do País no período entre 2007 e 2010.A idéia á aplicar na região Norte, nesse período, R$ 50,9 bilhões e mais R$ 80,4 bilhões nos Estados da região Nordeste. A região Sudeste, de acordo com Dilma, ficará com R$ 130,5 bilhões dos recursos que serão aplicados em projetos de infra-estrutura. A região Sul ficará com R$ 37,5 bilhões e o Centro-Oeste, com 24,1 bilhões.A ministra também disse que serão investidos cerca de R$ 6,2 bilhões em projetos na área de transporte na região Norte. Ela destacou que deste total, cerca de R$ 5 bilhões serão direcionados para o projeto de pavimentação da rodovia 163. A idéia, de acordo com a ministra, é aproximar o estado do Mato Grosso dos portos por onde são escoados os produtos produzidos no Estado.AeroportosA ministra disse também que o PAC prevê investimentos de R$ 3 bilhões m nos principais aeroportos do País até 2010. Nesse total, o maior montante, de R$ 1,8 bilhão, será destinado aos aeroportos da região Sudeste. Segundo Dilma, haverá intervenções nos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, Santos Dumont e Tom Jobim, além de Confins. No aeroporto de Vitória, Dilma destacou que será construído um novo terminal de carga.Na região Sul, os investimentos vão somar R$ 601 milhões, incluindo a ampliação da pista de Curitiba. Para a região Centro-Oeste, serão aplicados R$ 353 milhões, enquanto os aeroportos da região Nordeste terão R$ 151 milhões e os da região Norte, outros R$ 95 milhões. Segundo Dilma, a intenção do governo com as obras do aeroportos é aumentar em 40 milhões de passageiros ao ano a capacidade de embarque nos aeroportos brasileiros, que atualmente é de 118 milhões ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.