carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Setor de franquias cresce 15% e fatura R$ 46 bi em 2007

O bom desempenho da economia durante o ano passado injetou confiança no setor de franquias no Brasil. Com um aumento de brasileiros interessados na possibilidade de abrir um negócio próprio, o sistema de franchising registrou um faturamento de R$ 46 bilhões em 2007, o que representa um aumento de 15,6% em relação a 2006, o maior crescimento dos últimos sete anos. Os dados são da Associação Brasileira de Franchising (ABF).A pesquisa, que analisou o desempenho de mil redes franqueadoras em 2007, revelou ainda que o número de empresas que ingressaram ou adotaram o sistema de franquias no ano passado aumentou 18,2% - passando de 1.013 em 2006 para 1.197 em 2007. Nos últimos dois anos, o aumento das marcas brasileiras foi superior a 23%."O desempenho da economia favoreceu enormemente a franquia, desde o aumento do faturamento até o ingresso de novas marcas no mercado", salientou Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF.Apesar de um crescimento mais modesto, a ABF mostrou ainda que os índices de unidades franqueadas também acompanharam o ritmo e aumentaram de 62,5 mil unidades em 2006 para 65,5 mil no ano passado, o que representa um avanço de 4,7%. "O bom desempenho do setor é reflexo do aquecimento da economia, que aumentou o poder aquisitivo da população, favorecendo o consumo", reiterou Camargo.A ABF estima que o crescimento do setor de franquias gire em torno de 8% a 9% no faturamento, e que a expansão seja entre 6% e 7% no número de unidades franqueadas.Emprego e setoresO mercado de trabalho do setor também sentiu os reflexos deste cenário favorável. Segundo a pesquisa, o sistema de franchising criou 30 mil novos postos de trabalho, totalizando atualmente 594 mil empregos diretos.Entre os setores analisados pela instituição, o destaque ficou por conta do Acessório Pessoais e Calçados, que teve um incremento de 24,4% no faturamento. De acordo com a ABF, o bom desempenho se deve ao aumento das exportações nesse segmento e também a entrada de novas marcas no sistema. O setor registrou acréscimo de 40% no número de marcas.Em seguida aparecem os setores de Negócios, Serviços e Outros Varejos, com crescimento de 24,2%; Informática e Eletrônicos (20,4%); Hotelaria e Turismo (17,6%); Alimentação (17%); Móveis, Decoração e Presentes (13%) e Vestuário (12%).

AMANDA VALERI, Agencia Estado

27 de fevereiro de 2008 | 13h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.