Setor de guloseimas sai de uma estagnação de 5 anos

Os bons resultados da economia brasileira nos últimos meses e o aumento das exportações conseguiram tirar o setor de chocolates, balas e confeitos de uma estagnação de cinco anos no mercado interno. De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab), Getulio Ursulino Netto, o volume de vendas no País neste primeiro semestre subiu 5% em relação a 2003. "Havíamos previsto para 2004 mais um ano fraco no mercado doméstico mas, se mantido esse aquecimento que estamos sentindo na economia, devemos concluir o ano com um crescimento de 5% em relação a 2003", disse Ursulino Netto à Agência Estado. "O cenário não poderia ser mais positivo para o setor, já que conseguimos sair de um longo período de estagnação e superar nossas metas de exportação", complementou.Segundo levantamento da Abicab, as remessas externas do setor atingiram 95,338 mil toneladas na primeira metade do ano, uma alta de 30% ante resultado aferido de janeiro a junho de 2003. Em faturamento, a atuação positiva representou uma expansão de 37%, totalizando US$ 126,69 milhões. A meta do setor, delineada no início do ano, era registrar um incremento de 15% no volume de exportações ao término de 2004, porcentual que foi revisto para 30% a 40%, devido ao bom desempenho do começo do ano. Um dos principais destaques foi o mercado de balas, que remeteu ao exterior 71,422 mil toneladas, volume 31% superior ao do 1º semestre do exercício anterior. A receita com estes embarques totalizou US$ 75,11 milhões, uma alta de 38% frente 2003. O setor de chocolates também registrou desempenho positivo, com um crescimento de 27% em volume e 36% em faturamento, totalizando 23,916 mil toneladas e US$ 51,58 milhões. "Esse desempenho positivo decorre do trabalho que realizamos em parceria com a Apex desde 1998 para fomentar as exportações do setor", comenta Ursulino Netto. "Somando a facilidade de obtermos matéria-prima, já que o Brasil é o maior produtor mundial de açúcar, à produção em escala que temos e a nossa qualidade, conseguimos nos tornar competitivos em qualquer lugar do mundo". Quinto maior produtor de chocolates, com 347 mil t/ano, e segundo em balas (477 mil t/ano), o Brasil já exporta para 129 países. De acordo com Ursulino Netto, a recuperação do setor e seu potencial de expansão será melhor sentido nesta semana, durante a 7ª Sweet Brazil, feira internacional promovida pela Abicab que começa hoje em Curitiba (PR). Estarão presentes 54 expositores, que juntos representam 96% do mercado brasileiro de chocolates, 70% do de balas e 60% dos fabricantes de amendoim. Entre os expositores, destacam-se empresas como Arcor do Brasil, Balas Boavistense, Balas Juquinha, Bel, Cadbury Adams, Dan-Top, Garoto, Dauper, Docile, Dori, Embaré, Ferrero do Brasil, Florestal, General Brands, Kraft Foods, Nestlé, Parati, Peccin, Erlan, Riclan e Santa Helena. "Temos confirmada a visita de 4 mil atacadistas, que são responsáveis por 60% das vendas de nosso setor", afirma Ursulino Netto. "Isso porque, mais do que apresentar os lançamentos da indústria aos nossos principais compradores, o evento tem como objetivo estreitar os laços entre os produtores e os atacadistas." Até por essa razão os organizadores da Sweet Brazil prepararam para este ano uma novidade: a Sala de Amostras. Visitantes poderão encher sacola com 1,5 kg de doces para degustarO executivo explica que, a exemplo do que acontece na All Candy, maior feira do setor que acontece anualmente nos Estados Unidos, a Sweet Brazil contará com essa área exclusiva para os atacadistas, onde esses poderão coletar amostras dos produtos lançados na feira para conhecê-los e degustá-los, antes de ir ao estande do fabricante para negociar compras. Para tanto, os visitantes receberão uma sacola com capacidade para 1,5 kg. Os seminários para visitantes internacionais, por sua vez, prometem ser outro ponto alto do evento. As missões compradoras foram separadas em dois grupos de língua inglesa e espanhola e receberão informações sobre "Números do Brasil". Já estão confirmadas as presenças de visitantes da África do Sul, Arábia Saudita, Argélia, Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Dinamarca, Egito, Emirados Árabes, Estados Unidos, Nova Zelândia, Portugal, Samoa, Uruguai, Yemen, Ghana, entre outros. Paralelamente à 7ª Sweet Brazil, acontece a 24ª Convenção Anual do Comércio Atacadista e Distribuidor (Abad). Ambos os eventos estão sediados no Centro de Convenções ExpoTrade e acontecem de hoje até quinta-feira das 15 às 21 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.