Setor de serviços da zona do euro se contrai em junho

O setor de serviços da zona do euroregistrou uma contração em junho maior do que a estimada,puxado pelo fraco desempenho na Espanha, ao mesmo tempo em queas pressões inflacionárias aumentam, mostrou pesquisa divulgadanesta quinta-feira. Os dados são uma mistura tóxica para o Banco CentralEuropeu (BCE), que deve anunciar nesta quinta um esperadoaumento de 0,25 ponto percentual da taxa básica de juro daregião, para 4,25 por cento. O índice de atividade do setor de serviços europeu caiupara 49,1 em junho, ante 50,6 em maio. O dado ficou abaixo daleitura prévia de 49,5, publicada no mês passado. Foi aprimeira vez que o índice caiu abaixo da marca de 50 --quesepara crescimento de contração-- desde junho de 2003. Das quatro maiores economias da zona do euro, apenasAlemanha e França registraram crescimento do setor de serviçosem junho. Os serviços na Espanha registraram um novo recorde debaixa para países da zona do euro. O indicador no país caiupara 36,7 em junho, ante 43,3 em maio. "As coisas se complicaram para o BCE, já que estes númerosestão apontando para uma recessão espanhola", afirmou RainerGuntermann do Dresdner Kleinwort. "Os números da zona do euroainda não indicam uma recessão, mas eles confirmam que existemriscos e o segundo trimestre tende a ser bem fraco".

NIGEL DAVIES, REUTERS

03 de julho de 2008 | 08h38

Mais conteúdo sobre:
MACROZONAEUROSERVICOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.