Setor de serviços nos EUA cresce em novembro, mas em ritmo mais lento

O setor de serviços dos Estados Unidos expandiu em novembro em um ritmo mais lento do que no mês anterior com o crescimento nos novos negócios desacelerando, segundo dados preliminares do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), divulgado nesta segunda-feira.

REUTERS

24 de novembro de 2014 | 13h02

O relatório, divulgado pela empresa de dados financeiros Markit, mostrou que o setor de serviços atingiu 56,3 em novembro, ligeiramente abaixo das expectativas e o menor patamar desde abril, em comparação com a leitura final de outubro de 57,1.

A taxa de crescimento desacelerou de forma constante desde o pico de 61 deste ano, em junho, mas ainda está acima do nível de 50, o que sinaliza expansão da atividade econômica.

"A quinta desaceleração mensal consecutiva de crescimento no setor de serviços contribui para sinais de que a retomada econômica perdeu impulso considerável, mas é importante notar que o ritmo de expansão permanece robusto pelos padrões históricos", disse o economista-chefe do Markit, Chris Williamson.

O subíndice de novos negócios caiu para 55,9, após a leitura final de 57,8 em outubro.

O subíndice de emprego, no entanto, mostrou força e chegou ao mais alto patamar em comparação com valores finais desde junho.

A leitura preliminar do PMI composto, uma média ponderada dos índices de indústria e serviços, atingiu 56,1 em novembro, ante 57,2 em outubro, com o subíndice de emprego também melhorando.

(Por Rodrigo Campos)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAPMISERVICOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.