bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Setor de serviços provavelmente conduziu expansão alemã no 1º tri--BC

A economia alemã provavelmente voltou a crescer no primeiro trimestre deste ano devido à expansão do setor de serviços, depois de ter contraído no final de 2012, afirmou o Bundesbank, banco central do país, em relatório mensal.

Reuters

22 de abril de 2013 | 08h16

O BC alemão informou que a expansão do setor de serviços, que responde por cerca de dois terços do Produto Interno Bruto (PIB) do país, provavelmente impulsionou o crescimento, enquanto a indústria, que responde por cerca de um quinto do PIB, continuou fraca.

Pesquisa de gerentes de compras têm mostrado que o setor de serviços se expandiu todos os meses neste ano, embora o crescimento tenha desacelerado em março uma vez que as novas encomendas caíram. O setor industrial encolheu em dois de três meses em 2013.

"Embora a indústria provavelmente não tenha fornecido nenhum ímpeto para o crescimento nos três primeiros meses de 2013, o setor de serviços deve ter expandido novamente e, diante desse cenário, parece possível que o Produto Interno Bruto tenha aumentado", afirmou o Bundesbank.

Isso depende, no entanto, se os efeitos do inverno --que prejudicou o setor de construção-- foram contidos, acrescentou a autoridade monetária.

Dados recentes mostraram as encomendas à indústria crescendo, a produção aumentando e as exportações caindo, enquanto as vendas no varejo e o desemprego subiram. Apesar de as pesquisas de sentimento terem sido amplamente positivas neste nao, a última mostrou que o sentimento do empresário e do investidor piorou.

O Bundesbank afirmou que as vendas industriais e a produção ficaram de certa forma mais fracas nos primeiros dois meses de 2013 em relação ao quarto trimestre de 2012, segundo dados ajustados sazonalmente, na medida em que a demanda da zona do euro estagnou.

A maior economia da Europa encolheu 0,6 por cento no final de 2012, ao passo que as empresas adiaram investimentos e o comércio desacelerou devido à crise da zona do euro, mas economistas consultados pela Reuters esperam que o país tenha crescido 0,3 por cento no primeiro trimestre, evitando, portanto, uma recessão.

A Alemanha divulgará o relatório preliminar dos dados do PIB do primeiro trimestre em 15 de maio.

(Reportagem de Michelle Martin)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHABC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.