Setor eletroeletrônico tem perda de US$ 1 bi com greve

O setor eletroeletrônico de consumo acumula perdas de US$ 1 bilhão em vendas no mercado interno e externo com a greve dos auditores fiscais da Receita Federal, segundo estimativa da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros). "A situação fica mais grave a cada dia, ampliando os prejuízos com a falta de componentes para a produção e o custo altíssimo de armazenagem", afirma o presidente da Eletros, Lourival Kiçula.Ele ressalta que os componentes, matérias-primas e insumos indispensáveis ao processo de fabricação parados em portos e aeroportos brasileiros são avaliados em US$ 350 milhões. De acordo com ele, a manutenção da paralisação pode afetar, inclusive, a meta de aumento de 10% nas vendas do setor para o Dia das Mães, em razão do atraso na liberação das importações. Em relação às exportações, as indústrias estão sofrendo com as multas contratuais por não cumprirem os prazos de entrega acordados."A interrupção na produção pode ocorrer a qualquer momento, agravando-se na próxima semana, se as mercadorias retidas nos portos e aeroportos não forem liberadas", lamenta Kiçula. Além de Manaus, a dificuldade de importação é generalizada em outros portos e aeroportos.Estes dados foram entregues ontem pela Eletros ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, e ao secretário de Comércio Exterior, Welber de Oliveira Barral, durante audiência realizada em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.