Setor eletroeletrônico terá grupos de trabalho

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, anunciou hoje a criação de cinco grupos de trabalho no Fórum de Competitividade do Setor Eletroeletrônico. Os participantes desses grupos (adensamento da cadeia produtiva; comércio exterior e defesa da concorrência; capacitação tecnológica; software; e inclusão social) deverão se reunir na próxima semana para definir as diretrizes de política industrial para o setor.A determinação do ministro é de que os resultados sejam entregues daqui a 45 ou no máximo 60 dias. Furlan quer ter em mãos os dados para levá-los à missão empresarial que fará no Oriente Médio. "Esses grupos vão definir o norte da política industrial para o setor. Não temos ainda as respostas, mas há 80% de convergência nos pontos de vista", disse.Uma das idéias é trazer para o País investimentos estrangeiros na área de componentes para transformar o País em uma plataforma exportadora. A idéia agrada aos cerca de 50 empresários presentes à reunião com o ministro, no fim da tarde de hoje, na sede do Ministério da Fazenda em São Paulo.Gláucio Barros, executivo da Sony, disse que existe possibilidade de novos investimentos externos. "O acionista lá fora quer saber se há regras claras e se elas vão durar para sempre. Se isso acontecer, o investimento pode ser atraído", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.