Setor financeiro cresce 13,3% e ajuda desempenho de serviços

Outros destaques setoriais são agropecuária e indústria de transformação

Fernando Dantas e Adriana Chiarini, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2007 | 00h00

Os bancos contribuíram com a expansão de 13,3% do serviço de intermediação financeira para o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre. Assim, o subsetor financeiro (o setor inclui seguradoras e previdência privada) juntou-se à agropecuária e à indústria como destaques do PIB.Entre os três grandes setores, o da agropecuária foi o que mais cresceu no terceiro trimestre, ante o mesmo período de 2006, com 9,2%.Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), observou que culturas com mais de 50% da safra colhida no terceiro trimestre, como cana e trigo, estão crescendo fortemente em 2007. Segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de outubro, a safra de cana deve crescer 13,1% este ano e a de trigo, 59,3%.A indústria cresceu 5% no terceiro trimestre em relação a igual período de 2006, com destaque para a indústria de transformação, com 5,7%. Nessa última, despontam os setores de máquinas e equipamentos (puxados pelos investimentos), automotivo (que tem batido recordes de vendas no ano), material elétrico e produtos químicos. A construção civil cresceu 5% no terceiro trimestre de 2007 (comparado a igual período de 2007), puxada pelo aumento nominal de 22,7% no crédito direcionado à habitação.A indústria extrativa mineral foi a que menos se expandiu, com apenas 2%, freada pelo fraco desempenho da extração de petróleo e gás (1,3%), em razão de paradas técnicas e atraso na entrega de plataformas. O setor industrial de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana cresceu 3,8% e foi prejudicado pela crise de abastecimento de gás, que levou o segmento a ficar praticamente estável.Os serviços, por sua vez, cresceram 4,8%, com destaque para a intermediação financeira (que inclui empréstimos bancários e seguros), com 13,3%. O aumento do crédito e dos serviços bancários (com a cobrança de tarifas) na economia é a principal causa desse resultado, segundo os técnicos do IBGE.Outro desempenho forte foi dos serviços de informação, que cresceram 8,6% no terceiro trimestre, impulsionados pela alta de 10% na telefonia móvel. O valor agregado dos três setores do PIB cresceu 5,2% no terceiro trimestre, enquanto os impostos sobre produtos tiveram expansão de 8,7%. Essa combinação levou o PIB a crescer 5,7%.Rebeca notou que os impostos têm aumentado sistematicamente acima do PIB, com destaque para os de importação, já que as compras externas têm crescido em ritmo fortíssimo. Outro destaque é o IPI, puxado pela indústria automobilística.O IBGE revisou a variação do PIB de 2006, de 3,7% para 3,8%. A revisão ocorreu porque houve expansões apuradas com novas informações para todos os setores. A agropecuária teve a sua expansão revisada de 4,1% para 4,2%; a indústria passou de 2,8% para 2,9%; os serviços, de 3,7% para 3,8%. O primeiro semestre de 2007 também teve o crescimento do PIB revisado de 4,9% para 5%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.