Setor imobiliário: Inpar lança fundo

A Construtora Inpar lançará na próxima semana o fundo imobiliário do empreendimento Continental Square Faria Lima, nova opção de investimento para quem aposta no potencial de crescimento do setor. O primeiro lote de cotas, de R$ 46 milhões, estará disponível para venda tão logo o fundo seja aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A comercialização do empreendimento, que terá seguro de garantia de entrega da obra, deverá ficar a cargo da Lopes Consultoria de imóveis. A previsão do prazo de entrega da obra é de 32 meses contados a partir deste mês.O projeto é composto de uma torre de escritórios de alto padrão, com 16 andares, de um apart-hotel e de um hotel cinco estrelas Caesar Park, localizado no bairro de Vila Olímpia, zona sul de São Paulo. E representa investimentos de R$ 200 milhões, feitos em parceria com a Cargill. O diretor de incorporação da Inpar, Gerson Luiz Bendilati, explica que a parte que será vendida via fundo inclui seis andares da torre de escritório, cada um com 1.800 metros quadrados de área privativa, e o hotel cinco estrelas que terá 180 apartamentos. O objetivo desse fundo, segundo Bendilati, é permitir que pequenos e médios investidores tenham acesso a produtos imobiliários de qualidade. Os rendimentos (aluguéis, valorização do empreendimento, etc.) serão incorporados ao valor das cotas. A Inpar está estudando a possibilidade de as cotas serem negociadas futuramente na Bolsa de Valores de São Paulo, o que daria facilidade de negociação às aplicações.AplicaçãoPara participar do fundo imobiliário da Inpar, é necessário investir um valor mínimo de R$ 29 mil, correspondente a um lote de 29 mil cotas, já que o preço inicial de cada cota será de R$ 1,00. O investidor terá a opção de comprar as cotas com pagamento à vista ou parcelada em 12 meses sem acréscimo ou em 37 meses com correção pela variação do Índice Geral de Preços (IGP) da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Quem fizer o pagamento à vista receberá rentabilidade de 1% ao mês, durante os 37 meses de construção. Bendilati explica que, por confiar no sucesso do empreendimento, a empresa está garantindo ainda uma rentabilidade mínima de 12% ao ano para o fundo, nos dois primeiros anos após seis meses de conclusão da obra. Ele acrescenta que, de acordo com análise de consultores, o fundo deverá ter rentabilidade anual média de 13% nos 10 primeiros anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.