Setor imobiliário pesou na desaceleração do PIB dos EUA

A economia norte-americana desacelerou fortemente no quarto trimestre do ano passado, afetada pela crise no mercado imobiliário, de acordo com a estimativa preliminar do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todas as riquezas de uma nação) dos EUA no período, divulgada hoje pelo Departamento do Comércio norte-americano. Segundo o Departamento, também pesaram no crescimento econômico a desaceleração dos gastos dos consumidores, a liquidação de estoques e as exportações mais fracas.O componente imobiliário, que representa o investimento residencial fixo, despencou 23,9% no quarto trimestre de 2007, tirando 1,18 ponto porcentual do PIB. Foi a pior queda desde o quarto trimestre de 1981, quando os investimentos perderam 35,1%. No terceiro trimestre do ano passado, estes investimentos haviam caído 20,5%.O maior componente do PIB, os gastos com consumo, desaceleraram entre outubro e dezembro do ano passado e subiram apenas 2%, após a alta de 2,8% no trimestre anterior. As compras de bens duráveis aumentaram 4,2% no último trimestre, ante o aumento de 4,5% no terceiro trimestre. Já os gastos com bens não duráveis subiram 1,9% no quarto trimestre, enquanto os gastos com serviços avançaram 1,6%. No geral, os gastos com consumo contribuíram com 1,37 ponto porcentual do PIB, abaixo da contribuição de 2,01 pontos porcentuais do trimestre anterior.O comércio internacional representou 0,41 ponto porcentual do PIB norte-americano no quarto trimestre. As exportações aumentaram 3,9% no período, enquanto as importações subiram 0,3%. No terceiro trimestre, o comércio internacional havia contribuído com 1,38 ponto porcentual do PIB dos EUA, quando as exportações dispararam 19,1% e as importações cresceram 4,4%.Já os gastos do governo federal aumentaram 0,3% no quarto trimestre do ano passado, depois da alta de 7,1% do trimestre anterior. Os gastos dos governos locais e estaduais, por sua vez, subiram 4% no período, após avançarem 1,9% no terceiro trimestre. EmpresasOs investimentos das empresas aumentaram 7,5% no último trimestre de 2007. Os investimentos em infra-estrutura subiu 15,8% e os gastos com programas de computador (software) e equipamentos cresceram 3,8% no período. Antes, os gastos das empresas haviam subido 9,3% no terceiro trimestre do ano passado.As empresas liquidaram seus estoques no quarto trimestre. Os estoques de todos os tipos de bens diminuíram em US$ 3,4 bilhões, depois de terem aumentado US$ 30,6 bilhões no terceiro trimestre e US$ 5,8 bilhões no segundo do ano passado. A queda registrada no último semestre tirou 1,25 ponto porcentual do PIB do quarto trimestre de 2007, depois de acrescentar 0,89 ponto porcentual no trimestre anterior. As vendas finais reais de produtos domésticos, que correspondem ao PIB menos a mudança nos estoques privados, subiu à taxa anual de 1,9% no quarto trimestre, abaixo do avanço de 4% no terceiro trimestre. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.