Setor privado deve ter déficit de US$ 3,1 bi, diz BC

O Banco Central estima que o setor privado deve fechar 2003 com um déficit de cerca de US$ 3,1 bilhões em suas transações correntes. Em contrapartida, as projeções feitas pelo Departamento Econômico (Depec) do BC para o ingresso de recursos na conta financeira do setor privado indicam um saldo líquido positivo de cerca de US$ 5,6 bilhões. Essa diferença entre o déficit em transações correntes e ingresso líquido de recursos por meio da conta financeira deverá ser absorvida pelo BC e pelos bancos, segundo explicou ho o chefe do Depec, Altamir Lopes. Segundo ele, os cerca de R$ 2,5 bilhões que "sobram" no mercado devem ser absorvidos da seguinte maneira: os bancos reduziriam em US$ 1 bilhão a posição vendida em dólares e o volume restante, cerca de US$ 1,5 bilhão, seria recomprado pelo Banco Central. Essa recompra, segundo Lopes, refere-se às linhas interbancárias fornecidas pelo BC ao longo do último semestre de 2002 e que vence agora em 2003. Em janeiro, o setor privado registrou um superávit de US$ 300 milhões em suas transações correntes. A conta financeira do setor registrou um ingresso líquido de US$ 1,9 bilhão. Isso significa que o setor privado fechou o primeiro mês do ano com uma "sobra" de US$ 2,2 bilhões de recursos, frente aos seus compromissos externos. Viagens internacionais Altamir Lopes informou que a conta de viagens internacionais do balanço de serviço apresentava um superávit de US$ 33 milhões do início do mês até hoje. No mesmo período, a conta de computação e informação estava deficitária em US$ 41 milhões e a de aluguel de equipamentos tinha um déficit de US$ 64 milhões. O déficit da conta de pagamentos de royalties e licenças estava negativa em US$ 46 milhões. Fluxo das CC5 negativoAltamir Lopes disse que o fluxo de recursos nas contas de não residentes (CC5) estava negativo em US$ 275 neste mês até ontem. As contratações de câmbio para a realização de exportações, no mesmo período, estava em US$ 2,570 bilhões e as relacionadas às importações era de US$ 1,862 bilhão. As contratações para a remessas financeiras estavam, no mesmo espaço de tempo, em US$ 2,829 bilhões e as feitas para a realizações ingressos somavam o equivalente a US$ 2,625 bilhões. O saldo global das operações de contratação de câmbio estava positiva em US$ 229 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.