finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Setor público acumula superávit primário de R$ 49,2 bi

As contas do setor público (Governo Federal, Estados, municípios e empresas estatais) acumulam, neste ano, um superávit primário de R$ 49,293 bilhões até agosto. Esse valor é equivalente a 4,91% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o superávit era de R$ 37,363 bilhões (4,41% do PIB). Em agosto, segundo dados divulgados pelo Banco Central, as contas do setor público apresentaram um superávit primário de R$ 4,964 bilhões. Com esse resultado, ficam faltando R$ 4,907 bilhões para o governo atingir a meta de R$ 54,2 bilhões acertada até setembro no acordo do Brasil com o Fundo Monetário Internacional (FMI). As metas do acordo atual com o Fundo terminam em setembro. Pelos dados do BC, as contas do Governo Central (Tesouro, INSS e BC) registraram, em agosto, um superávit primário de R$ 2,601 bilhões. Os governos regionais tiveram, mês passado, um superávit de R$ 1,103 bilhão. Desse total, R$ 916 mihões foram obtidos pelos Estados e R$ 188 milhões pelos municípios. As empresas estatais (federais, estaduais e municipais) tiveram, em agosto, um superávit de R$ 1,260 bilhão. As estatais federais contribuíram com um superávit de R$ 1,304 bilhão, enquanto as estaduais foram deficitárias em R$ 40 milhões. As estatais municipais também apresentaram déficit primário em agosto, de R$ 4 milhões.No ano até agosto, as contas do Governo Central registram superávit de R$ 35,280 bilhões e as dos governos regionais, de R$ 10,114 bilhões. Asempresas estatais acumulam, no período, um superávit de apenas R$ 3,899 bilhões.Déficit nominal de R$ 8,196 bilhõesO déficit nominal sem câmbio do setor público foi de R$ 8,196 bilhões em agosto. O valor é inferior aos R$ 10,672 bilhões de julho último e supera os R$ 4,710 bilhões de agosto do ano passado. No período de janeiro a agosto deste ano, o déficit nominal sem câmbio está acumulado em R$ 53,125 bilhões (5,29% do PIB). Em igual período do ano passado, o déficit nominal estava acumulado em R$ 23,327 bilhões (2,75% do PIB). O resultado nominal acumulado em 12 meses, até agosto, estava deficitário em R$ 91,412 bilhões (6,18% do PIB) contra os R$ 87,926 bilhões (6,03% do PIB) de 12 meses até julho.Dívida líquida A dívida líquida do setor público (União, Estados, municípios e estatais) subiu para R$ 891,335 bilhões em agosto, o equivalente a 57,7% do PIB. Segundo dados divulgados há pouco pelo Banco Central, a dívida em julho era de R$ 877,157 bilhões (57,2% do PIB). O aumento foi de R$ 14,171 bilhões de julho para agosto. De acordo com dados do Banco Central, a dívida líquida já subiu, até agosto, 1,21 ponto porcentual do PIB em relação a dezembro do ano passado. A dívida bruta do setor público do governo geral (governo federal, INSS, governos municipais) alcançou R$ 1,210 trilhão (78,4% do PIB). Em julho, a dívida bruta estava em R$ 1,201 trilhão (78,3% do PIB).Superávit primário acumuladoO superávit primário acumulado em 12 meses até agosto subiu para R$ 64,320 bilhões. Esse resultado eqüivale a 4,35% do PIB. Até julho, o superávit primário em 12 meses estava em R$ 63,837 bilhões, o correspondente a 4,38 % do PIB.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2003 | 11h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.