Setor público registra déficit nominal de R$ 6,2 bi

O setor público registrou déficit nominal de R$ 6,298 bilhões em outubro. A ocorrência de déficit nominal acontece porque o esforço fiscal para pagamento de juros da dívida, o chamado superávit primário, foi menor que a despesa ocorrida no mês.

FERNANDO NAKAGAWA E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

25 de novembro de 2011 | 11h05

Segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC), o déficit nominal caiu na comparação com setembro, quando o saldo negativo das contas públicas ficou R$ 9,171 bilhões, e também foi inferior ao registrado em outubro de 2010, quando o nominal foi deficitário em R$ 6,366 bilhões.

De acordo com o BC, a maior parcela do déficit nominal no mês passado foi de responsabilidade dos governos regionais, que terminaram o período com saldo negativo de R$ 3,333 bilhões. Já o governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) teve déficit nominal de R$ 3,121 bilhões em outubro. As empresas estatais, por sua vez, encerram o mês passado com superávit nominal de R$ 155 milhões.

No acumulado de janeiro a outubro de 2011, o setor público amarga déficit nominal de R$ 79,136 bilhões, o equivalente a 2,36% do PIB. Em igual período de 2010, o nominal estava negativo em R$ 70,632 bilhões, ou 2,35% do PIB. Já no acumulado em 12 meses até outubro, o déficit nominal soma R$ 102,177 bilhões, o que representa 2,54% do PIB.

Superávit

No acumulado em 12 meses até outubro, o superávit primário do setor público consolidado totalizou R$ 133,615 bilhões, o que representa 3,33% do PIB, segundo os dados do BC. O governo central tem acumulado em 12 meses o superávit primário de R$ 102,784 bilhões, o que equivale a 2,56% do PIB. Os governos regionais (Estados e municípios) registram em 12 meses um resultado primário positivo de R$ 29,302 bilhões, 0,73% do PIB. Já as empresas estatais acumulam no período superávit primário de R$ 1,530 bilhão, 0,04% do PIB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.