Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Setor público registra em novembro superávit primário de R$ 4,166 bi

No acumulado do ano, a economia para abater a dívida pública soma R$ 90,8 bilhões, o equivalente a 2,74% do PIB

Fabio Graner e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2010 | 10h47

O setor público registrou em novembro superávit primário (economia para abater a dívida pública) de R$ 4,166 bilhões, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central. Trata-se do pior resultado para o mês desde novembro de 2008, quando houve déficit primário de R$ 967 milhões. O resultado, contudo, ficou dentro das previsões dos analistas consultados pelo AE Projeções, que iam de R$ 2,4 bilhões a R$ 5,9 bilhões, e acima da mediana de R$ 3 bilhões. No acumulado do ano, o superávit primário do setor publico soma R$ 90,843 bilhões, o equivalente a 2,74% do PIB. A meta cheia de superávit primário das contas do setor público em 2010, no entanto, é de 3,1% do PIB.

Em novembro de 2009, o esforço fiscal foi de R$ 12,274 bilhões. No resultado do mês passado, o governo central contribui com superávit de R$ 1,655 bilhão, os governos regionais com saldo positivo de R$ 2,377 bilhões e as empresas estatais (excluindo Petrobrás e Eletrobras) tiveram superávit R$ 134 milhões.

De janeiro a novembro de 2009, o setor público acumulou saldo positivo de R$ 64,613 bilhões, correspondente e 2,24% do PIB. Nos 12 meses encerrados em novembro, o setor público acumula superávit de R$ 90,998 bilhões, o que equivale a 2,51% do PIB. Nos 12 meses encerrados em outubro, o superávit era de R$ 99,106 bilhões, correspondente a 2,76% do PIB.

Déficit nominal recorde

De acordo com o BC, o setor público registrou em novembro déficit nominal (receitas menos despesas, considerando o pagamento de juros) de R$ 14,359 bilhões. Segundo o chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, trata-se do pior resultado para os meses de novembro desde o início da série em 2001.

O governo central registrou déficit de R$ 9,976 bilhões, enquanto os governos regionais tiveram saldo negativo de R$ 4,237 bilhões e as empresas estatais de R$ 146 milhões.

No acumulado do ano, o resultado nominal do setor público é negativo em R$ 84,991 bilhões, o correspondente a 2,56% do PIB. Em igual período do ano passado, o déficit nominal era de R$ 92,022 bilhões, o equivalente a 3,20% do PIB.

Nos últimos 12 meses encerrados em novembro, o déficit nominal ficou em R$ 99,211 bilhões, o equivalente a 2,74% do PIB. Até outubro, o déficit nominal em 12 meses era de R$ 87,845 bilhões (2,45% do PIB).

Gastos com juros

O gasto do setor público com o pagamento de juros somou R$ 18,525 bilhões em novembro. O valor é maior do que o registrado em outubro, quando a despesa somou R$ 16,105 bilhões. A despesa também superou a observada em novembro de 2009, quando o setor público pagou R$ 15,266 bilhões aos credores da dívida.

No mês passado, o governo central foi o maior responsável pelo pagamento de juros, com um montante correspondente a R$ 11,631 bilhões. Nos governos regionais, a conta somou R$ 6,614 bilhões. As empresas estatais foram responsáveis pelo desembolso de R$ 280 milhões.

No acumulado de janeiro a novembro de 2010, o pagamento de juros somou R$ 175,834 bilhões, o que corresponde a 5,31% do PIB. Proporcionalmente em relação ao PIB, a despesa caiu, uma vez que em igual período de 2009 o pagamento foi equivalente a 5,44% do PIB. No acumulado de 12 meses encerrado em novembro, a conta com juros soma R$ 190,209 bilhões, ou 5,25% do PIB.

Relação dívida/ PIB

A dívida líquida do setor público fechou novembro em R$ 1,450 trilhão, o correspondente a 40,1% do PIB. Em outubro, a dívida estava em R$ 1,436 trilhão, o equivalente a 40,0% do PIB. A dívida bruta do governo geral (que abrange governo federal, Estados e municípios, mas exclui Banco Central e empresas estatais) atingiu em novembro R$ 2,099 trilhões, o correspondente a 58,0% do PIB. Em outubro, a dívida bruta somou R$ 2,087 trilhões, o equivalente a 58,2% do PIB.

Texto atualizado às 12h30

Tudo o que sabemos sobre:
setor públicogastossuperávitdívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.