Setor público teve superávit de R$ 10,186 bi em agosto

As contas do setor público consolidado (União, Estados e Municípios e suas empresas estatais) apresentaram em agosto um superávit primário de R$ 10,186 bilhões. O resultado é maior do que o apresentado em julho (R$ 8,796 bilhões), porém menor do que o obtido em agosto de 2004 (R$ 10,931 bilhões). No acumulado do ano, janeiro a agosto, as contas do governo central registram um superávit primário de R$ 78,931 bilhões, o equivalente a 6,26% do PIB. No mesmo período do ano passado, o superávit acumulado no ano era de R$ 63,728 bilhões, correspondente a 5,61% do PIB. Em 12 meses, terminados em agosto, o superávit acumulado atingiu R$ 96,316 bilhões, o correspondente a 5,10% do PIB, porcentual maior do que a meta de superávit fixada pelo governo para o ano de 2005, que é de 4,25%/PIB. Déficit nominal Já o déficit nominal do setor público em agosto foi de R$ 3,238 bilhões em agosto. O resultado é melhor que o déficit de R$ 3,340 bilhões registrado em julho, mas é pior que o déficit de R$ 651 milhões de agosto de 2004. No período de janeiro a agosto deste ano, o déficit nominal está acumulado em R$ 26,756 bilhões, que corresponde a 2,12% do PIB. No mesmo período do ano passado, o déficit nominal havia sido de R$ 20,058 bilhões, que equivaliam 1,76%/PIB. No período de doze meses terminado em agosto, o déficit nominal está em R$ 53,842 bilhões, que equivale a 2,85% do PIB. No período de doze meses até julho, o déficit nominal estava em R$ 51,255 bilhões (2,73%/PIB). No ano passado, o déficit nominal fechou em R$ 47,144 bilhões (2,67%/PIB). Contas do governo central As contas do governo central (governo federal, Banco Central e INSS) apresentaram, em agosto, superávit primário de R$ 4,508 bilhões ante R$ 3,766 bilhões em agosto do ano passado, segundo dados do BC, que divulga o resultado das contas pelo conceito abaixo da linha (que mede a necessidade de financiamento do setor público pela variação da dívida, enquanto o conceito acima da linha é a medição pelo conceito de caixa), diferente do divulgado na semana passada pelo Tesouro Nacional. O governo federal contribuiu com um superávit primário de R$ 7,333 bilhões, o BC com déficit primário de R$ 217 milhões e o INSS, também com resultado negativo, este de R$ 2,608 bilhões. Estatais As empresas estatais federais apresentaram, em agosto, um superávit primário de R$ 3,262 bilhões, segundo dados divulgados, há pouco, pelo Departamento Econômico do Banco Central. Já as empresas estatais estaduais tiveram saldo positivo de R$ 20 milhões e as estatais municipais, de R$ 4 milhões. Com o resultado das contas das três esferas de governo, as empresas estatais, reunidas, contribuíram com um superávit primário de R$ 3,286 bilhões, em agosto, ante R$ 5,528 bilhões em agosto do ano passado, que foi resultado de superávit primário de R$ 5351 bilhões das estatais federais, R$ 164 milhões das estatais estaduais e R$ 12 milhões das estatais municipais. Governos estaduais As contas dos governos estaduais apresentaram, em agosto, superávit primário de R$ 2,358 bilhões ante R$ 1,667 bilhão em agosto do ano passado e R$ 1,217 bilhão em julho de 2005. As contas dos municípios também apresentam melhora, tendo registrado superávit primário de R$ 33 milhões ante déficit primário de R$ 30 milhões em agosto do ano passado e superávit de R$ 1 milhão em julho de 2005. Estados e municípios, reunidos, contribuíram com superávit primário de R$ 2,391 bilhões para as contas do setor público, em agosto. Em agosto do ano passado, os governos regionais haviam registrado superávit primário em suas contas no valor de R$ 1,637 bilhão.

Agencia Estado,

26 Setembro 2005 | 11h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.