Setor público teve superávit de R$ 6,751 bilhões em março

As contas do setor público consolidado (União, Estados, municípios e estatais) registraram em março um superávit primário de R$ 6,751 bilhões. O resultado é maior do que o apurado em março de 2002, quando as contas do setor público apresentaram um superávit primário de R$ 3,015 bilhões. No primeiro trimestre, o superávit acumulado das contas do setor público é de R$ 22,835 bilhões, o equivalente a 6,24% do PIB.Com esse resultado, o País já cumpriu com uma folga de R$ 7,4 bilhões a meta de R$ 15,4 bilhões acertada pelo governo brasileiro com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para o período. Para o cumprimento da meta de R$ 34,5 bilhões fixada com o FMI para junho, faltam R$ 11,668 bilhões de superávit nos próximos três meses.A economia do setor público realizada até agora é bem superior a do mesmo período de 2002. No primeiro trimestre do ano passado, o superávit acumulado era de R$ 11,547 bilhões, o equivalente a 3,9% do PIB.O chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes, disse que o superávit de R$ 6,751 bilhões é o maior para os meses de março da série histórica do BC. A série de dados fiscais teve início em 1991. "É um resultado bastante positivo", comentou Altamir. Segundo ele, o resultado foi impulsionado pela superávit de R$ 2,430 bilhões obtido nas contas das estatais (federais, estaduais e municipais).A economia das estatais também foi a maior para meses de março desde o começo da série. "As estatais tiveram uma boa performance, principalmente as federais, que tiveram bom faturamento", ressaltou o chefe do Depec. As estatais federais tiveram superávit de R$ 1,980 bilhão em março. Também contribuiu para o resultado de março o desempenho das contas do governo central (Tesouro, Banco Central e INSS), que apresentaram superávit de R$ 3,453 bilhões.De acordo com Altamir, o superávit do governo central foi assegurado, principalmente, pela redução de dispêndios. "Esse governo vem em linha com o governo anterior, mantendo uma performance com responsabilidade absoluta na área fiscal", disse.

Agencia Estado,

30 de abril de 2003 | 14h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.