Setor público teve superávit primário de R$ 43 bi

O superávit primário do setor público em 2001 foi de R$ 43,655 bilhões, segundo o Departamento Econômico do Banco Central. O valor equivale a 3,75% do PIB e supera em R$ 3,455 bilhões a meta de R$ 40,2 bilhões, acertada com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Em 2000, o superávit primário do setor público tinha sido de R$ 38,157 bilhões, que correspondiam a 3,55% do PIB. No ano passado, o governo central (governo federal, Banco Central e INSS) teve um superávit primário de R$ 21,980 bilhões (1,98% do PIB), contra os R$ 20,231 bilhões (1,92% do PIB), em 2000. Os governos regionais (governos estaduais e municipais) tiveram no ano passado um superávit de R$ 10,471 bilhões (0,90% do PIB), contra o superávit de R$ 6,026 bilhões (0,57% do PIB) alcançado em 2000. As empresas estatais, federais e municipais fecharam o ano passado com um superávit primário de R$ 11,205 bilhões (0,94% do PIB). Este resultado é menor que o superávit de R$ 11,7 bilhões (1,06% do PIB), registrado em 2000.Déficit nominalO déficit nominal do setor público sem câmbio, em dezembro, foi de R$ 11,198 bilhões. O valor divulgado pelo Departamento Econômico do Banco Central é o maior do ano e equivale a 10,69% do PIB. Levando-se em conta a variação do câmbio, o resultado nominal do setor público, em dezembro, foi superavitário em R$ 4,132 bilhões, que correspondiam a 3,95% do PIB.Em dezembro, o déficit nominal sem câmbio do governo central (governo federal, Banco Cental e INSS) foi de R$ 13,622 bilhões (13,01% do PIB), enquanto que o déficit dos governos regionais (governos estaduais e municipais) ficou em R$ 1,477 bilhão (1,41% do PIB). As empresas estatais, federais, estaduais e municipais tiveram, em dezembro, um superávit nominal de R$ 3,9 bilhões (3,72% do PIB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.