Setor se refez da crise, mas ainda enfrenta obstáculos

Em um ano, o mercado imobiliário brasileiro deixou um cenário de insegurança paralisia para dar lugar a um momento histórico de crescimento para construtoras e incorporadoras. "Nosso País mostrou e mostra sua força, principalmente pela forma como suplantou a crise de 2008", disse o presidente do Secovi-SP, João Crestana.

, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2010 | 00h00

Segundo ele, alguns fatores foram decisivos para que o setor atingisse hoje uma situação "confortável". Crestana cita a ascensão das classes C e D; o fortalecimento do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal além do equilíbrio da inadimplência e do "bônus demográfico", com o incremento da população mais jovem. "Mas ainda há desafios", diz o dirigente do Secovi-SP. ''Temos problemas, como a insegurança jurídica e a insistência de órgãos públicos em criar suas próprias leis."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.