Setor têxtil argentino teme concorrência brasileira

De cada dez toalhas e lençóis vendidos na Argentina, seis são importados do Brasil, segundo um levantamento da Fundação Pro-Tejer, que reúne os empresários têxteis argentinos e considera a indústria brasileira como a inimiga número um do setor. Segundo o último relatório da entidade, o caso do denim, um fio que se faz com algodão, é gritante. O consumo mensal do mercado interno é de 3,5 milhões de metros desse fio, enquanto que "a produção local é de 2,5 milhões de metros e a importação brasileira dos últimos meses foi de mais de 2 milhões". Segundo a entidade, isso "está produzindo um acúmulo de estoque, com sério dano à indústria local"."Em fios de acrílico se consomem 1.200 mil toneladas por mês. No ano passado entraram 1.597 mil toneladas. Nos primeiros seis meses deste ano, foram importadas 2.829 mil toneladas, e 90% dessa transação comercial corresponde a uma só empresa brasileira", destaca o relatório. A associação repete insistentemente uma advertência: "a esse ritmo de importação, esta companhia poderia abastecer todo consumo de fios de acrílico de nosso país, com consequências previsíveis para a indústria local". Também afirma que nos primeiros sete meses de 2003 foi registrada importação de 3,7 milhões de toalhas, das quais "80% de origem brasileira".A Fundação Pro-Tejer diz que os hipermercados Wal-Mart e Casino são os principais importadores de têxteis brasileiros e argumentam que o fazem por razões de qualidade e paridade cambial. O relatório da fundação questiona números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Brasil, que mostram que as vendas do principal sócio do Mercosul para a Argentina têm perdido importância em relação aos níveis alcançados na década de 90. "É inconsistente fazer comparações com anos anteriores, quando o setor têxtil, devastado na década de 90, custava a alcançar os níveis de recuperação que se observa na atualidade", conclui o relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.