Setores de serviços e manufatureiro da zona do euro desaceleram

Índice PMI mostra que o crescimento da produção nos dois setores atingiu a mínima em sete meses

Hélio Barboza, da Agência Estado,

23 de setembro de 2010 | 07h53

O crescimento da produção do setor privado da zona do euro em setembro se desacelerou além das expectativas, para uma mínima de sete meses, seguindo uma acentuada desaceleração na Alemanha, de acordo com dados preliminares de uma pesquisa da companhia de informações financeiras Markit.

O índice composto dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) da zona do euro, uma medida da atividade do setor privado baseada em cerca de 85% das respostas de uma pesquisa mensal com as empresas, caiu para 53,8 em setembro, de 56,2 em agosto. Embora a queda tenha sido a maior desde novembro de 2008, a leitura acima de 50 ainda indica que a produção está crescendo.

Os economistas esperavam queda para 55,9 em setembro, de acordo com uma pesquisa da Dow Jones feita na semana passada.

O desdobramento dos dados mostrou que o índice PMI para o setor industrial da zona do euro caiu para uma mínima de oito meses de 53,6, contra 55,1 em agosto. O índice de atividade do setor de serviços recuou para uma mínima de sete meses, de 53,6 em setembro, contra 55,9 no mês anterior.

A previsão dos economistas era que o PMI industrial caísse para 54,8 e o de serviços, para 55,5.

Alemanha

O setor privado da Alemanha se expandiu num ritmo mais lento em setembro, sugerindo uma atividade econômica mais fraca no fechamento do terceiro trimestre, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira. A leitura preliminar do índice composto de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) caiu para 54,8 em setembro, de 58,4 em agosto, informou a Markit Economics.

Desdobrando essa leitura, o PMI dos serviços caiu para uma mínima de sete meses e ficou em 54,6 no mês de setembro, comparado a 57,2 em agosto, enquanto o PMI industrial recuou para uma mínima de oito meses, em 55,3, de 58,2 em agosto. Uma leitura acima de 50,0 indica que o setor está se expandindo, enquanto uma leitura abaixo de 50 indica contração.

"Continua a aumentar a evidência de que o setor industrial alemão está desacelerando em linha com o desaquecimento da expansão global", disse Ken Wattret, economista-chefe para a zona do euro do BNP Paribas. "Nesse contexto, a resistência do setor de serviços também é questionável e indicativa de uma dinâmica de crescimento muito mais fraca na economia alemã caminhando para o quarto trimestre."

Os resultados foram surpreendentes, já que os economistas consultados pela Dow Jones na semana passada tinham previsto que o PMI industrial cairia apenas levemente, para 57,9, e que o PMI dos serviços aumentaria um pouco, para 57,4. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.