Seus direitos

Planos de saúdeSou conveniado Samcil há mais de 10 anos. E desde 5/11 aguardo liberação de guia para uma pequena cirurgia (carta de 26/11/07). Telefono todos os dias (procedimento determinado pela Samcil) e ficam de retornar, mas não ligam de volta com uma posição definitiva. Sempre que ligo falo com uma pessoa diferente, tendo de explicar tudo de novo!DINO MOTTINELLI FILHOCapitalA Samcil responde:"Reavaliaremos o ocorrido para poder satisfazer de forma eficiente as necessidades de nossos clientes. Contatamos o beneficiário para dar os esclarecimentos necessários, e nos colocamos à sua disposição."A Samcil não quer liberar tratamento de ressonância magnética para os meus joelhos, pedindo que o médico desenhe um quadro clínico mais detalhado do caso, com raio-X e exames anteriores. Pelo que entendi, o médico tem de ter bola de cristal, para adivinhar o que o paciente tem. Pago o plano e não posso usá-lo quando preciso.SAMIR DE OLIVEIRA ACHCARCapitalA Samcil responde:"Contatamos o associado, prestando esclarecimentos e reiterando o nosso compromisso com a melhoria contínua do atendimento aos clientes e nos colocando à sua disposição." Há mais de 10 anos meu pai era conveniado do Iguatemi, hoje Amesp Saúde. Em outubro, a oftalmologista de minha mãe encaminhou uma guia de cirurgia de um calázio (tumefação da pálpebra causada pela inflamação da glândula que produz material sebáceo) externo no olho esquerdo. Deram o telefone do setor que trata de cirurgias, e aí começou o problema. Depois de várias ligações, disseram que na clínica havia apenas um médico para esse tipo de cirurgia e que a fila estava grande, porque ele atende só uma vez na semana. Será que pagamos plano de saúde para termos atendimento ?de SUS?? Consultamos o Atendimento, que confirma que só essa clinica faz esse tipo de cirurgia.SUSILEI APARECIDA PAQUIONIOsasco/SPA Amesp Saúde responde:"Em telefonema à leitora, filha da beneficiária, a situação foi esclarecida e solucionada, tendo d. Susilei manifestado satisfação com as providências."N. da E.: a coluna aproveita para comentar que nem o ?atendimento de SUS? poderia ser assim. Aliás, financiado pelos altos impostos pagos pelo povo, teria de ser bom, ótimo, excelente.A leitora comenta:Agradeço ao jornal a atenção e rapidez. Este é um espaço muito bom para nós, consumidores. Como disse para a Amesp, se tenho queixas, reclamo; e se fui bem atendida, agradeço.Meu irmão está internado no Sta. Helena, pela Unimed, deviao a uma infecção pós-cirurgia estomacal. Avisamos o hospital várias vezes do atraso em ministrar a medicação prescrita; e na semana passada marcaram cirurgia a ser feita hoje (3/12), cancelada porque o hospital não tem material disponível. Hoje pela manhã um enfermeiro entrou no quarto e disse para minha mãe que ia levar meu irmão para a sala de cirurgia. Mamãe se espantou, e minutos depois ficou esclarecido que o enfermeiro estava levando o paciente errado para a cirurgia...CAMILA COLOMBOPenhaA Unimed responde:"O irmão da leitora, sr. Leonardo Colombo, está recebendo todo o atendimento necessário. O hospital tem uma rotina de entrega de medicamentos às unidades de internação, com prazos estipulados segundo a necessidade clínica do paciente. Como hospital certificado pela Organização Nacional de Acreditação, nos preocupamos em oferecer o melhor a todos os pacientes. Diante da queixa, contatamos d. Camila para prestar esclarecimentos e nos colocarmos à disposição para resolver quaisquer problemas ou dúvidas. Ela ficou satisfeita com a agilidade de resposta e agradeceu a atenção."Acompanho esta coluna, principalmente as cartas sobre abusos dos planos de saúde. Fico triste e constrangido ao ler os casos dos que usam a coluna como última instância, e jamais imaginei que eu, aos 82 anos, também escreveria um dia, já que há 25 anos pago altas mensalidades. Mas o Hospitaú não tem nada de diferente dos planos já denunciados aqui. Como nossa apólice não cobre consultas e exames laboratoriais, recorri a um médico particular que, pelo exame clínico de minha mulher, emagrecimento e idade (83 anos) pediu uma série de exames, feitos ao custo aproximado de R$ 5 mil. Na endoscopia gástrica foi encontrado um tumor, confirmado em biópsia. Seria preciso removê-lo por cirurgia endoscópica, mas o plano não a autorizou, alegando ser ?atendimento ambulatorial?, não coberto. Expliquei que não é ambulatorial, por exigir internação e centro cirúrgico; também não era método investigativo, mas uma opção do cirurgião. Sei que nesse caso poderia ter obtido internação na emergência, por não ser ato cirúrgico programado mas urgente, como a biopsia final comprovou. Me sinto inseguro e abandonado por uma empresa que, acima de tudo, me vê como um ?mau negócio?, devido à idade, e que deixou claro, pelas atitudes, que se eu desistir do plano será um alívio. VINÍCIUS JAPHET RITTESCapitalO Seguro Hospitaú responde:"O procedimento a que foi submetida a dependente foi inicialmente negado porque no relatório médico constava ?diagnóstico passível de procedimento ambulatorial?. Assim, lembramos que o contrato prevê cobertura para procedimentos ambulatoriais somente quando decorrentes de acidente, o que não era o caso. Com o resultado e descrição do anátomo-cirúrgico, o Hospitaú reverterá a cobrança das despesas, assumindo a responsabilidade pelo pagamento dos itens cobertos pelo contrato do cliente."Há meses (carta de 10/12/07) tento marcar uma cirurgia simples pela Amesp, mas todas as vezes que ligo para a Central de Atendimento dão uma explicação diferente sobre o motivo de ainda não a terem marcado. MARIANA SOUZA MACIELJardim CatanduvaA Amesp Saúde responde:"A cirurgia foi marcada para 19/12, mas ela a remarcou para o final de janeiro, em data a ser definida."Sou cliente do Bradesco Saúde há dois anos. Tenho dois tumores e quadro de infiltração de endometriose intestinal, e preciso fazer um exame (ecocolonoscopia) com urgência. Mas desde 26/11 o plano não me diz qual o local onde posso fazer esse exame. Pelo Atendimento sou informado de que o plano cobre o exame, mas os atendentes não informam onde. Disseram para eu procurar o local ligano para os laboratórios do livro do plano; liguei para mais de 70, mas encontrei apenas quatro, que não têm mais contrato com o plano. A situação passou dos limites, minha saúde não pode esperar pela boa vontade deles e dependo do exame para fazer a cirurgia.FLÁVIA LISBOA PORTO de BARTOLICapitalO Bradesco Saúde responde:"Contatamos d. Flávia e o caso foi solucionado."A leitora informa que a empresa a contatou em 14/12 e marcou o exame para o dia 11 (sexta-feira próxima passada). Seus direitos ENDEREÇOAvenida Engº Caetano Alvares, 55, 6º andar, CEP 02598-900, São Paulo/SP FAXFax (011) 3856-4590E-MAILconsumidor.estado@grupoestado.com.brEste espaço é aberto a reclamações de consumidores que se sintam prejudicados ou tenham dúvidas ref. às suas relações com empresasAs reclamações devem ser endereçadas à coluna Seus Direitos, a/c de CECILIA THOMPSON, com nome, endereço, RG e telefone, podendo ser resumidas a critério do jornal. Reclamações sem esses dados não serão consideradas. Todas serão enviadas às empresas, que terão 15 dias para responder

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.