Seus direitos:

Aparelhos eletrônicosO conserto de uma tevê de Plasma Samsung de 42 polegadas custa mais de R$ 10 mil, enquanto a nova custa R$ 3.500. A imagem da minha desapareceu após 18 meses da compra, e o SAC disse que não enviaria um técnico porque ela já está fora da garantia de 1 ano. Todas as assistências técnicas procuradas se negaram a buscar o aparelho, e a única que eu consegui só veio retirar a tevê na 3.ª data marcada (o técnico disse que o aparelho está em curto) O primeiro contato com a Samsung foi em 28/4 - e até hoje (dia 7) nada foi resolvido.DANIELA PLASTER KOK Real ParqueA Samsung responde:"O produto está fora da garantia, e durante sua vigência não houve registro de problemas. Diante disso, a empresa não tem como intervir."A leitora diz que a resposta é ?um absurdo?, por achar que o caso é de defeito de fabricação.Em 24/4, comprei pelo Shoptime um telefone sem fio Philips 1.9 Detecta, com secretária eletrônica e vivavoz, por R$ 159, que deu defeito. Após idas-e-vindas da Técnica Magawa, continuo sem ele. Para trocá-lo, o Shoptime pede um laudo da Philips. Acho que tenho direito a um novo aparelho, não só um aumento de garantia. REGINA M. FERREIRA GUZZARDI PerdizesA Philips responde:"O aparelho será substituído por um novo, com um ano de garantia, no prazo de 15 dias úteis. Investimos na excelência, explorando novas formas de melhorar e oferecer produtos aos consumidores que facilitem o seu dia-a-dia."A leitora comenta que a Philips, "mesmo sendo a empresa de grande porte que é, se manifestou tardiamente". O Shoptime a contatou, e estão em negociação (ela devolveu o aparelho e aguarda o reembolso no cartão). "E embora esteja sendo bem atendida agora, só ficarei tranqüila quando receber meu dinheiro de volta", diz elaEm março, nos EUA, comprei um laptop Sony Vaio, mod. CRN 320 E/L, com câmera embutida. Dois meses depois da minha volta ao Brasil, a câmera parou de funcionar, sem motivo aparente. Contatei o SAC, que disse que a empresa não oferece garantia global para seus produtos. E eu teria de pagar para resolver o problema de um aparelho com três meses de uso e de alto valor... A Sony ofereceu um suporte online em São Paulo, mas moro no Rio e tive de arcar com ligações interurbanas para ser orientado pelos técnicos. Tentei todos os procedimentos, mas descobri que esta é uma queixa comum entre as pessoas que possuem o mesmo aparelho.PEDRO TEIXEIRA GOMES da CRUZRio de JaneiroA Sony Brasil responde:"Oferecemos garantia somente para produtos fabricados/vendidos no Brasil. Produtos comprados em outros países ou por importadores independentes não têm a garantia assegurada pela Sony Brasil."O leitor disse à coluna que o problema é recorrente e que a Sony deveria fazer um recall.Dei para meu filho de 14 anos um celular Sony Ericsson w 380, que com 12 dias de uso parou de funcionar. Levei-o em 23/6 à assistência técnica, que disse que o problema é com a bateria, e que não há nenhuma em estoque nem previsão de reposição pela fábrica. Paguei R$ 800 por um celular que não funciona - e a fábrica não tem bateria para substituição! A atendente do SAC disse que nada pode fazer a respeito. PAOLA MARIA MATTEONISantanaA Sony Ericsson responde:"Contatamos a cliente para fazer a troca do aparelho, que estará disponível para retirada no dia 27/7."A leitora telefonou para a técnica para confirmar a informação, já que dia 27 era domingo, e a firma não abre. A funcionária disse que não tinha conhecimento desta resposta e que ainda não há previsão para a entrega da bateria. A Sony emprestou um aparelho até a leitora receber o novo.No dia 27/6, a Dell Computadores do Brasil anunciou no portal a oferta de um kit composto por dois notebooks Vostro 1.400, com descrição de tudo o que ofereciam, por R$ 1.876, frete incluso. Comprei e recebi msg de confirmação, mas percebi que nada descontaram no meu cartão-crédito. Contatei a Dell, que informou que houve ?erro de cadastramento? e que o preço estava errado. O atendente ainda argumentou: O senhor há de convir que esse preço jamais poderia estar certo... o máximo que podemos fazer é lhe oferecer um notebook com 30% de desconto, saindo por R$1.500. A empresa errou e fez publicidade enganosa. Não me interessa se erraram o preço, tenho comprovante impresso que confirma que fiz pedido de um kit de dois notebooks por R$ 1.876 - e é isso que quero receber.MARCELO ARMONASCapitalA Dell Brasil responde:"Por causa de um problema na loja online em 27/6, alguns clientes adquiriram notebooks Vostro por valor final não condizente com a promoção anunciada. A falha foi corrigida assim que a constatamos, e contatamos os clientes atingidos para esclarecer a situação."Em contato telefônico com a Anatel, fui informado de que a agência não regula aparelhos celulares, muito embora os homologue. Pois eu acho que a Anatel deveria rever seus procedimentos homologatórios, já que as queixas são muitas. Tenho problemas com celulares Motorola desde 2005: primeiro com o V360, já fora de linha, que foi para a técnica várias vezes, sem solução. Entrei com processo no Juizado Especial Cível SP, onde ainda aguarda sentença. Agora estou com problemas com o K1 GSM, que já foi duas vezes para a técnica, apesar do laudo alegar ?sem defeito?. O problema continua e eles pedem que eu o reenvie para a assistência, mas não caio mais nessa armadilha.MARCOS ABRÃOVila AndradeA Motorola Brasil responde:"Lamentamos o ocorrido e contatamos o consumidor para a solução definitiva do caso."Há mais de 10 anos só uso aparelhos Nokia, pela qualidade. Em 2/6, comprei um N95 que deu problema no bluetooth em menos de uma semana. Liguei para o SAC e sugeriram levar o aparelho à assistência técnica; se ele não voltasse em 30 dias, dariam um novo. Não concordo, e a sensação é de que a empresa não quer resolver o caso. CRISTINA LÚCIA RAMOSCapitalA Nokia responde:"Constatamos que o aparelho precisa de uma análise técnica detalhada, por isso pedimos à leitora que o encaminhe à técnica autorizada. Tão logo tenhamos um parecer sobre o produto, tomaremos as medidas necessárias para solucionar o caso no menor tempo possível." Meu sincero agradecimento ao Procon pela resolução da cobrança indevida do Netfone e pelo cancelamento da linha que apresentava constantes interrupções e falhas. Aproveito para cumprimentar a técnica Silmara Buzo que intermediou o acordo entre as partes com muito conhecimento e segurança, bem como toda a excelente equipe do Poupatempo. Sem o Procon, ficaríamos à mercê da sanha insaciável das empresas.ANNA RITA MARTINISeus direitos:ENDEREÇOAvenida Engº Caetano Alvares, 55, 6º andar, CEP 02598-900, São Paulo/SP FAXFax (011) 3856-4590E-MAILconsumidor.estado@grupoestado.com.brEste espaço é aberto a reclamações de consumidores que se sintam prejudicados ou tenham dúvidas ref. às suas relações com empresasAs reclamações devem ser endereçadas à coluna Seus Direitos, a/c de CECILIA THOMPSON, com nome, endereço, RG e telefone, podendo ser resumidas a critério do jornal. Reclamações sem esses dados não serão consideradas. Todas serão enviadas às empresas, que terão 15 dias para responder

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.