finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Seus direitos

Máquinas maravilhosasA Fiat fez grande lançamento do Fiat Punto (carta de 10/10). Contudo, não há produto para entrega. Fiz o pedido na concessionária e paguei 10% do valor do carro, com previsão de entrega de em até 30 dias - mas após 50 dias da data do pedido, ainda não recebi o carro.FLÁVIO EDUARDO PRISCOItaim BibiA Fiat responde:"O carro foi faturado para a concessionária em 20/10 e entregue no dia 25." Levei meu Citröen C3 para a concessionária no dia 24/8, dias antes da revisão programada, porque o carro estava com problemas na parte elétrica. A entrega da peça com defeito varia entre 5 e 20 dias. Enquanto isso, ficarei com um carro-reserva cedido pela empresa.EDGAR GERALDO DA MOTTACapitalA Citröen responde:"Conforme informa a concessionária, foi diagnosticada pane elétrica e problemas na direção. O reparo foi feito e em 6/9 o carro foi entregue em perfeitas condições. O cliente o carro-reserva durante todo o período em que seu carro esteve em reparos (resp. do dia 14/9)." No dia 17/9, minha mulher voltava da escola de nossa filha quando as marchas do seu Honda FIT LXL 1.4 não engatavam mais. Acionamos o guincho da seguradora e na concessionária constataram ?desgaste prematuro? do conjunto da embreagem (volante, disco, platô e rolamento), mas a Honda se negou a trocar as peças sem cobrá-las, alegando desgaste natural. Um consultor do SAC disse que a Honda entende que o problema decorreu do ?uso excessivo? do carro - mas, em dois anos de uso, o carro só tem 19.600 km rodados, com uso restrito ao trajeto entre nossa casa e a escola da menina (7 km). Como é que um carro com esse tipo de uso pode ter o conjunto de embreagem ?desgastado? a ponto de ter de ser substituído? JORGE JULIANO DE OLIVEIRACapitalA Honda responde:"Após análise por técnicos da concessionária, não foi constatado nenhum defeito no sistema de embreagem do carro." No dia 20/7, adquiri um Corsa Sedan Premium 1.4 na Carrera/Butantã, com entrega prometida para em 20 dias. Hoje, 29/8, ainda não entregaram nem explicam o atraso. Telefonei, e disseram que a entrega estava prevista para o dia 17/9.JOSÉ DE SOUZA CHRYSOSTOMOCapitalA GM responde:"Solucionamos o caso (resposta de 11/10)." O leitor informa que recebeu o carro no dia 17/9.Em dez/06, comprei um Volks SpaceFox. Nos primeiros dias de uso deu defeito no interruptor de luz interno, que foi trocado; depois surgiu um barulho na lataria que aumentou até se tornar insuportável. Diagnóstico: falha na soldagem da lataria - e o carro teve de ficar 4 dias na oficina. Em seguida o motor começou a falhar, e, da noite para o dia, o carro parou. Em agosto a alavanca do câmbio saiu em minhas mãos. Agora (carta de 25/10), com apenas 6 mil km rodados, algo aconteceu no compartimento do motor, de onde saiu uma espessa fumaça cinza e forte cheiro de queimado. A desculpa da concessionária é que houve ?desgaste natural de peças?, pelo que trocaram seis peças do motor. Como é que um carro com apenas 6 mil km, que não sofreu nenhum acidente, roda somente na cidade e em boas estradas asfaltadas, pode ter esse ?desgaste natural?? JOÃO DO AMARAL GURGEL NETTOJundiaí/SPA Volkswagen responde:"Consultamos o concessionário Comercial Liberato sobre o caso e fomos informados de que o inconveniente observado não se caracteriza como falha de fabricação/material do nosso produto, o que nos impede de atendê-lo em garantia." Levei minha perua Meriva, ano 04/mod. 05, com 35.375 km, para a revisão de 3 anos, à concessionária GM Granleste, em 21/6. A recepcionista informou por escrito os itens a ser revisados e os preços e anotou "dificuldade de engate, alto consumo de combustível e barulho na suspensão dianteira". Autorizei a revisão completa de 30 mil km, excluindo o ar-condicionado. O orçamento foi R$ 1.301, com troca das palhetas do limpador de pára-brisa. No mesmo dia, o mecânico encontrou outros itens para trocar e eles enviaram a lista por fax. Da lista, só autorizei a troca das buchas da barra estabilizadora, coxim traseiro do motor, tensionador de correia e o kit correias. A data de entrega foi adiada para 22/6, mas como o mecânico trocou a correia dentada e o tracionador, a bomba d?água começou a fazer barulho, e seria preciso trocá-la. Disse que não autorizaria, pois antes o problema não existia, mas o mecânico disse que a bomba não tinha problema até a troca da correia dentada, que passara a fazer barulho ?devido a uma folga no eixo?. Como a tração da nova correia é maior do que a da anterior, o problema já existia sem aparecer, mas ele não soube dizer desde quando ou se é vício do produto. Conversei com 4 engenheiros mecânicos, um deles automobilístico, e nenhum entende como é que a mudança de tração da correia poderia revelar uma folga no eixo. Como o barulho continuasse, autorizei e paguei a troca. A concessionária não tinha a bomba e acabaria o serviço no final do dia, mas como eu disse que voltaria só na 2.ª feira, eles acharam uma bomba ?que serviria?. Dirijo há 30 anos e já troquei mais correias dentadas do que a idade do mecânico da Granleste. Sou engenheira, já vi muita troca de acionamento de bomba em outros serviços, e nunca vi surgir problema de eixo por causa disso. Peço que a GM explique o fenômeno, para eu me certificar de que o erro não foi do mecânico. Aliás, não resolveram o ruído da suspensão mesmo com a troca de buchas da barra estabilizadora e coxim traseiro do motor. MARIA CRISTINA B. SOUZA CRUZCapitalA GM responde:"Solucionamos o caso com a cliente, com o SAC e a área técnica, a fim de alcançar sua satisfação e fidelização à marca."A leitora informa que a GM a contatou dizendo que a peça não deveria estar com defeito e que irão ressarci-la, mas não disseram quando.N. da E.: mais uma vez, uma leitora faz uma pergunta técnica específica, e a empresa responde com uma carta-padrão. Comprei um Volvo C-30 2.4, em 12/9, retirado dia 20. No dia 5/10, tive a infelicidade de bater a lateral do carro e levei-o à concessionária no dia 8. Havia a maioria das peças em estoque, mas 3 teriam de ser importadas (suporte, gargalo e pára-barro), com prazo de 15 dias; 23 dias depois, não sabem dizer se as peças estão na Alfândega ou na distribuidora de Barueri. O vendedor garantiu que haveria peças no País. R. M. C. A Volvo responde:"Temos estoque de peças adequado à demanda histórica de reparos feitos nos últimos anos. O índice de atendimento de peças é monitorado pela equipe de pós-vendas, e eventuais peças não disponíveis nos estoques são importadas com a brevidade possível. O prazo de entrega das peças pode variar em função da logística de transporte aéreo e processos de desembaraço aduaneiro. Já entregamos o carro do leitor."Seus direitosENDEREÇOAvenida Engº Caetano Alvares, 55, 6º andar, CEP 02598-900, São Paulo/SP FAXFax (011) 3856-4590E-MAILconsumi@estado.com.brEste espaço é aberto a reclamações de consumidores que se sintam prejudicados ou tenham dúvidas ref. às suas relações com empresasAs reclamações devem ser endereçadas à coluna Seus Direitos, a/c de CECILIA THOMPSON, com nome, endereço, RG e telefone, podendo ser resumidas a critério do jornal. Reclamações sem esses dados não serão consideradas. Todas serão enviadas às empresas, que terão 15 dias para responder

O Estadao de S.Paulo

12 de novembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.