finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Sexta criança é internada na Austrália após ingerir brinquedo

Bindeez possui substância que ao ser ingerida se transforma na droga alucinógena GBH

Efe,

09 de novembro de 2007 | 02h38

As autoridades australianas pediram nesta sexta-feira, 9, à população que cuide para que nenhuma criança tenha acesso ao brinquedo Bindeez, após a hospitalização do sexto menor que engoliu suas bolinhas tóxicas. Veja também: Brinquedo é alvo de recall por conter substância ligada a droga Um bebê de 18 meses foi internado na noite de quinta-feira em um hospital de Newcastle, a norte de Sydney, e se encontra em situação estável, mas grave. Ele engoliu as bolinhas do brinquedo, nas quais foram achados restos da droga GHB, informou nesta sexta-feira a imprensa australiana. Outros cinco crianças da Austrália e Nova Zelândia foram internadas este mês pelo mesmo motivo. Na quinta-feira, o governo australiano proibiu a comercialização do Bindeez e alertou aos pais para que seus filhos não consumam as bolinhas do brinquedo. "É um produto extremamente venenoso e tem o potencial de matar. Pedimos aos pais que evitem que seus filhos tenham acesso a ele", disse a conselheira de Comércio do estado de Nova Gales do Sul, Linda Burney. O brinquedo permite criar vários desenhos, utilizando bolinhas de diversas cores que se colam quando entram em contato com água. Para criar o efeito de cola, leva normalmente uma camada de um produto químico, o 1,5-pentanediol. Mas, por razões ainda desconhecidas, outro produto, o 1,4-butanediol, foi utilizado. O produto, ao ser ingerido, se transforma na substância conhecida como GBH, ou ácido gama-hidroxibutírico, uma droga de laboratório muito usada em festas por seus efeitos alucinógenos e com potencial letal.

Tudo o que sabemos sobre:
brinquedorecallBindeez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.