SFI deve vigorar ainda nesse mês

A Caixa Econômica Federal (CEF) deve efetuar mais uma alteração no seu sistema de financiamento habitacional ainda este mês. Os novos contratos de financiamento serão firmados pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), em que a hipoteca é substituída pela fidúcia como garantia do financiamento.Com a mudança, o interessado em financiar um imóvel deverá ter mais cautela, explica o advogado especializado em direito imobiliário Márcio Bueno. Em caso de inadimplência, o sistema de fidúcia permite que o credor retome com maior rapidez o imóvel. "Enquanto na hipoteca o processo de retomada leva no mínimo dois anos para ser concluído, com a fidúcia, em três meses o mutuário poderá receber ordem para desocupar o imóvel." O advogado diz que evitar financiamento com prestação que comprometa mais de 20% da renda familiar pode ser uma maneira de não ter problemas. A prestação para quem tem renda mensal de R$ 5 mil não deve ultrapassar R$ 1 mil.SFI pode aumentar a oferta de créditoMas o SFI poderá significar também aumento da oferta de crédito imobiliário e de imóveis. É que, pelo sistema, bancos e construtoras podem vender a companhias de securitização os créditos que têm com seus mutuários, antecipando a receita que receberiam ao longo de anos na forma de prestações. Assim, podem oferecer novos financiamentos ou erguer novos prédios. Ocorre que a companhia hipotecária só vai comprar esses créditos se houver garantia do recebimento deles. É que para fazer a aquisição ela terá de emitir títulos para captar recursos de investidores, e estes só vão adquirir os títulos se eles estiverem lastreados em contratos com uma garantia segura como a fidúcia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.