Shell planeja investimento de US$ 2,5 bi

Valor estimado por especialistas será usado na expansão de área na Bacia de Campos, de onde a empresa espera retirar até 40 mil barris diários

SERGIO TORRES / RIO, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2011 | 03h04

Com a meta de aumentar sua produção em 30 mil a 40 mil barris diários a partir de 2013, a Shell planeja no ano que vem fazer um investimento "multibilionário" no Parque das Conchas, área na Bacia de Campos (litoral norte do Rio e sul do Espírito Santo), onde já produz petróleo. A revelação foi feita ontem pelo presidente da companhia petrolífera no Brasil, André Araujo.

Em junho deste ano, a média de produção de óleo e gás da Shell no País atingiu 93 mil barris diários. São quantidades menores do que as alcançadas em 2010, quando a produção foi de 104 mil barris por dia. A Shell é a segunda maior produtora de petróleo no Brasil, atrás apenas da Petrobrás. Tem sete blocos marítimos (offshore) e cinco onshore (em terra).

De acordo com o executivo, o grupo anglo-holandês Shell aprovou em outubro a expansão do Parque das Conchas e já inicia "um processo de investimento" com o objetivo de aumentar a produção em até dois anos. O plano integra a fase Parque das Conchas 2, que prevê a perfuração de dez poços nos próximos 18 meses.

Custo. Embora não revelado pela direção da companhia, o custo extraoficial do projeto é estimado por especialistas do setor em cerca de US$ 2,5 bilhões. A descoberta em 2010 de um novo reservatório de óleo e gás levou a Shell a já estruturar uma terceira fase de sua atuação no Parque das Conchas, que deverá ser implantada a partir de 2014.

No ano passado, a Shell anunciou ter localizado indícios de petróleo no campo de Nautilus, no Parque das Conchas, bloco em que a empresa é a operadora, com 50% do empreendimento. Os sócios são a Petrobrás, com 35%, e a indiana ONGC, com os restantes 15%.

"Esperamos que essa área se viabilize economicamente para ser o Parque das Conchas 3. Dentro do investimento mundial da Shell, é bastante significativo", disse Araujo durante o evento "Encontro Shell de Inovação 2011", promovido pela companhia no Rio.

Ainda em curso, a primeira fase do Parque das Conchas reúne a produção de 11 poços. O presidente revelou que a Shell já investiu US$ 3 bilhões no bloco e gasta, em média, US$ 30 bilhões por ano no Brasil.

O presidente da Shell no Brasil anunciou ainda que no primeiro semestre de 2012 a empresa perfurará seu primeiro poço na Bacia do São Francisco (norte de Minas Gerais), onde estão os cinco blocos onshore da Shell no País.

"É uma área estratégica do grupo Shell para gás não convencional", disse Araujo, que, mais uma vez, não revelou o valor do investimento nos blocos de São Francisco.

O executivo preferiu não especular sobre as possíveis dimensões do reservatório a ser explorado na Bacia de São Francisco. "Geologia é surpresa, mas a expectativa é gás. A perfuração deve ocorrer no segundo ou no terceiro trimestre de 2011", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.