Shell promete expandir produção em águas profundas do Brasil

Estimativa é de atingir pico de 28 mil barris de petróleo equivalente por dia com novos projetos

Álvaro Campos, da Agência Estado,

22 de julho de 2013 | 10h20

LONDRES - A petroleira Royal Dutch Shell informou nesta segunda-feira, 22, que, juntamente com seus parceiros, deve aumentar a produção com dois novos projetos em águas profundas nos campos Parque das Conchas e Bijupirá-Salema, na Bacia de Campos.

Comunicado divulgado pela Shell dá conta de que, no caso do Parque das Conchas, foi decidido avançar para a Fase 3 do projeto - incluirá a instalação de infraestrutura subaquática no campos Massa e Argonauta.

A Shell tem 50% do bloco como operadora. Petrobrás tem 35% e ONGC, 15%.

Quando estiver em operação, a produção deve atingir um pico de 28 mil barris de petróleo equivalente (petróleo mais gás) por dia.

A Fase 2 do projeto continua a progredir e deve começar a produzir no fim do ano, com pico de produção de 35 mil barris de petróleo equivalente por dia.

Nos campos Bijupirá/Salema, a Shell afirma que está promovendo uma reformulação que incluiu a perfuração de quatro novos poços de produção. Com isso, a produção deve atingir 35 mil barris por dia em 2014. Nesses campos a empresa têm uma fatia de 80%, enquanto os 20% restantes são da Petrobrás. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoShell

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.