Shell vai investir em etanol de cana e de celulose

A Shell vai investir em etanol de cana-de-açúcar. A gigante do setor de petróleo acredita que os biocombustíveis podem ser "muito atrativos" e nega que o etanol esteja gerando um lobby do setor de combustíveis contra países como o Brasil. A empresa, porém, alerta: não irá apostar no etanol de milho nos Estados Unidos. "Quando se analisa a produção de cana, como no Brasil, está claro que se trata de um setor atrativo para investimentos e achamos que esse modelo no Brasil é sustentável em termos ambientais", afirmou o chefe mundial do departamento de tecnologia da Shell, Jan van der Eijk. "Tudo indica que o etanol de cana é bom para a economia e para o meio ambiente. Portanto, é um bom investimento, com lucros promissores, e vamos seguir essa tendência", disse. Van der Eijk explica que a Shell irá investir tanto no etanol de cana como no desenvolvimento de um etanol de celulose. "São esses os modelos que fazem sentido econômico e estamos considerando o envolvimento da Shell nesse setor. Não estamos considerando usar nem o milho nem trigo", alertou. O motivo da recusa pelo etanol produzido nos Estados Unidos a partir do milho seria a necessidade de altos subsídios para que o produto seja competitivo no Mercado. PetróleoA costa atlântica do Brasil é hoje uma das áreas mais promissoras em termos de novas descobertas de petróleo no mundo, analisa a Shell, que alerta que o Brasil já precisa começar a pensar como irá utilizar os recursos que serão gerados para reduzir a pobreza no País. "Para a Shell, o Brasil é uma das áreas mais promissoras nos próximos anos", afirmou Jan van der Eijk. "Temos planos de exploração e estamos buscando petróleo na costa do Brasil", confirmou o representante da multinacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.