Silverjet suspende operações e afeta quase 10 mil passageiros

Companhia aérea britânica diz que não tem mais dinheiro para continuar operando vôos no Reino Unido

Da Redação,

30 de maio de 2008 | 16h46

Milhares de clientes da Silverjet ficaram presos ou perderam dinheiro depois que a companhia aérea admitiu nesta sexta-feira, 30, que não tem mais dinheiro para continuar voando e suspendeu suas operações. As informações são do site Times Online.  A empresa, que começou a operar no ano passado, é a última vítima dos crescentes preços dos combustíveis para aeronaves. "Foi com profundo pesar que a diretoria da Silverjet decidiu que deve suspender suas operações imediatamente", afirmou em comunicado. O último vôo decolou nesta sexta às 7h30 de Luton, com destino a Dubai, enquanto a Agência de Aviação Civil (CAA na sigla em inglês) estimou que 7 mil clientes britânicos e 2.500 de outros países foram afetados pelo colapso da aérea.  De acordo com o órgão regulador do setor, o esquema de proteção da licença da companhia não cobre prejuízos de passageiros que agendaram vôos apenas com a Silverjet.  A CAA está aconselhando os consumidores britânicos precisam voar de volta para Londres de Nova York ou Dubai que façam acordos alternativos com outras companhias aéreas. O órgão afirmou que reservaram as passagens com cartão de crédito podem conseguir receber o dinheiro de volta das companhias de cartão ou de seus agentes de viagem. Aqueles que pagaram com cartão de débito devem entrar em contato com a empresa do cartão para aconselhamento, ou checar quaisquer políticas de seguro de viagem sobre coberturas para casos como este.  Os passageiros da Silverjet que chegaram ao aeroporto de Luton nesta sexta afirmaram que a companhia aérea não fez nenhuma tentativa de contactá-los.  As portas da sala de embarque da aérea ficaram trancadas durante toda a manhã com apenas um aviso informando a situação aos passageiros. Os 350 funcionários da Silverjet também estavam no escuro sobre seu futuro.

Tudo o que sabemos sobre:
SilverjetAviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.