Sinais de deflação são preliminares, diz Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse hoje, ao ser indagado sobre a ocorrência de deflação de alguns itens de preço no atacado, que estes sinais são ainda preliminares. Ele também acha pouco provável que haja deflação nos preços ao consumidor. Sobre a deflação em alguns preços no atacado, Meirelles comentou: "houve um ajuste de preços de itens que subiram dentro de uma expectativa de inflação maior do que a inflação que vem ocorrendo e é normal que esse preços sejam reajustados. É um processo normal de qualquer reajuste econômico." Meirelles considerou que a perspectiva de queda no preço da gasolina é um fator importante e positivo para a inflação brasileira. "Não há dúvida de que a gasolina é um fator importante para a inflação. O fato é que a queda nos preços do petróleo no mercado internacional permite à Petrobras baixar os preços dos combustíveis. Certamente isso é um componente positivo, como os outros, para a inflação", afirmou Meirelles, antes de participar do seminário Crises e Oportunidades para a América Latina, que está sendo realizado no Departamento de Estado norte-americano e é promovido pelo Conselho das Américas. Meirelles reafirmou que o BC está comprometido com a meta da inflação de 8,5% para este ano e que está trabalhando para cumprí-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.