Sinal de corte de juro nos EUA impulsiona mercados europeus

As ações européias avançaram 2,67 porcento nesta quarta-feira, impulsionadas por um rali atrás depapéis de bancos e seguindo a valorização em Wall Street, ondea esperança de um corte de juro animou investidores. O índice europeu FTSEurofirst 300 alcançou sua maior altapercentual diária desde abril de 2003, encerrando a sessão em1.501 pontos. Os principais índices das bolsas da Inglaterra,da Alemanha e da França avançaram entre 2,3 por cento e 2,7 porcento cada. Os bancos foram os que mais subiram, com o suíço UBSganhando 6,65 por cento, o britânico Barclays disparando 5,73por cento e o francês BNP Paribas marcando alta de 3,68 porcento. Os mercados globais foram impulsionados pela esperança deum novo corte na taxa de juro norte-americano após comentáriosde Donald Kohn, vice-chairman do Federal Reserve, citando anecessidade de uma política monetária mais flexível. Antes disso, conversas sobre a formação de um investimentono banco suíço UBS impulsionou os mercados, assim como umrelatório no Wall Street Journal informando que o Citigrouprejeitou uma aproximação informal por uma proposta de umbanqueiro de investimento sobre uma fusão com o Bank of America. Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 2,7por cento, a 6.306 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX avançou 2,55 por cento, para7.723 pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 subiu 2,34 por cento, para 5.561pontos. Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em alta de 1,85 porcento, a 29.470 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou valorização de 1,64por cento, para 15.566 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 teve alta de 1,7 por cento, para13.096 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.